segunda-feira, dezembro 24, 2007

Árvore de Natal ou de Jessé?

Era dezembro de 1989. Thiago, um menino de 8 anos, esperava ansiosamente pelo Papai Noel (Pai Natal em Portugal - curiosidade). Ele tinha uma grande expectativa de receber sua primeira bicicleta. O Natal sempre representou um momento muito singular, muito aguardado por ele. Quando ele nem sabia escrever, sua mãe já lhe ajudava com as cartinhas que deveriam ser colocadas ao pé da formosa e iluminada árvore de Natal. Era possível pedir qualquer coisa para o suposto benevolente vovô. Ele, às vezes, falhava por não dar tudo o que Thiago queria, mas o primeiro videogame foi dado por ele. O primeiro Ferrorama também. A primeira bola de futebol... Cada ano "o primeiro" era dado pelo "bom velhinho" que viajava em seu trenó e conseguia entrar em qualquer casa, mesmo naquelas que não tinham chaminés.

O Papai Noel tem provavelmente o papel principal no dia 25 de dezembro na maioria dos lares brasileiros com crianças. Entretanto, creio que a árvore de Natal nos lares seja tão importante para os adolescentes, jovens e adultos quanto o "bom velhinho" para as crianças, tomando a primeira posição quando não restringimos a disputa por idades.


Árvore de Jessé (figura: Raiz de Jessé, por Ansgar Holmberg) é como eu chamo minha árvore de Natal. Ela é bem pequenina e proporcional ao tamanho de nosso lugarzinho gostoso, onde eu e minha amada moramos. Talvez muitos de vocês saibam que eu não sou favorável à utilização de árvores para representar e adornar meu Natal. Tomo os devidos cuidados para que não me esquecer da verdadeira razão da celebração do dia 25 de dezembro, data que eu não creio ter sido o nascimento de Jesus de Nazaré, mas não me importo em dividir com milhões de pessoas a referência escolhida para tal celebração possivelmente criada em 273 A.D. e depois autorizada por Constantino em 336 A.D..

De onde eu tirei a idéia de árvore de Jessé? Não fui eu quem criei. Um grande professor meu certa vez me mostrou uma passagem que me ajudou a não descartar a árvore do dia 25 de dezembro, mas fazê-la de referência com o verdadeiro personagem desta data.

Um ramo surgirá do tronco de Jessé,
e das suas raízes brotará um renovo.
O Espírito do SENHOR repousará sobre ele,
o Espírito que dá sabedoria e entendimento,
o Espírito que traz conselho e poder,
o Espírito que dá conhecimento e temor do SENHOR.
E ele se inspirará no temor do SENHOR.
Não julgará pela aparência, nem decidirá com base no que ouviu.

Isaías 11.1-3 (NVI)

O nome de Jessé é muito conhecido em Israel. Foi ele o pai do rei mais respeitado de todos os tempos desta nação, o rei Davi. Nós brasileiros não temos o costume de nos atentarmos para genealogias, a não ser quando queremos buscar cidadanias de outras nações. O nome de Jessé é relembrado na genealogia apresentada por Mateus (cap.1) e Lucas (cap.3). Mas é Jessé o personagem principal do Natal?

Não! O ramo que surge do tronco de Jessé (ou o rebento do toco de Jessé - Ferreira de Almeida), é o personagem principal, o próprio Deus, Jesus de Nazaré. Seu nascimento foi o cumprimento de muitas profecias veterotestamentárias, inclusive da passagem supracitada. Daí o nome de minha árvore.

Eu não sei qual o motivo pelo qual você e sua família celebram o Natal. O foco do meu Natal é Jesus Cristo. Não há presente melhor do que tê-lO como Salvador. Aliás, paz, alegria, felicidade e muitos outros desejos que são oferecidos para todos nesta época do ano, nada seriam sem Ele.

Por isso meu desejo é que o seu dia 25 de dezembro, o nosso Natal, seja celebrado com a árvore que representa o único verdadeiro motivo de haver celebração. Que nossos símbolos natalinos sejam para nos lembrar de Jesus Cristo.


Feliz Natal!

domingo, dezembro 23, 2007

Princípios Éticos - Licitude e Edificação

"Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas nem tudo edifica. (1Coríntios 10.23)

Mais uma vez a questão traz à tona a licitude, porém há algo mais. Além de eu, como cristão, assumir o compromisso de não somente pensar se é lícito fazer algo ou não, tenho de pensar se edificará. Serei eu edificado com o resultado da ação escolhida? Será o próximo edificado? Haverá edificação?

O que eu quero fazer é lícito e edifica?

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Formação Espiritual (Hb 4.12-16)

Durante esta semana estive em um dos meus módulos do Mestrado no Seminário Bíblico Palavra da Vida. Ao final da semana utilizamos o texto de Hebreus 4.12-16 para basear nossos argumentos à formação espiritual.

12 Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração.
13 Nada, em toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.
14 Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que profess
amos,
15 pois não temos um sumo sacerdote que
não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.
16 Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade.

Hebreus 4.12-16 (NVI)

O Alvo da Vida Cristã
Aproximar-nos do Trono da Graça com Fé (v.16)
Objetivo: recebermos misericórdia e encontrarmos graça nos momentos de necessidade.

Como?
- devemos nos apegar à fé que dizemos ter (cf. Hb 10.23; 1Pe 3.15b);
- Cristo deve ser o exemplo mor de alguém que passou por todo tipo de tentação, porém sem pecar. Ademais, Ele está ao lado de nosso alvo, o trono de Deus, a plena graça em Pessoa (Hb 12.2).

O Processo de Crescimento Espiritual
Através do exemplo de Cristo, devemos persistir na firmeza de professarmos nossa fé (v.14)
Objetivo: lembrar-nos sempre de que haverá dificuldade, mas nEle há resolução.

Como?
- a Palavra de Deus julga pensamentos e intenções, indica e avalia as condições de nosso coração: ela expõe o que se passa na intimidade do homem;
- o conhecimento da onisciência de Deus deve mantê-lo afastado de tropeçar, visto que Deus disciplina aqueles que ele aceita como filho.

A Dinâmica Humana e Divina na Formação Espiritual
A verdadeira ajuda somente vem de Deus (v.14)
Objetivo: entender as iniciativas e projetos divinos para os problemas humanos.

O que é esta dinâmica?
Deus, como Criador da própria história, deu ao homem a capacidade de refletir e seguir pelo caminho de sua escolha. Desde a queda de Sua criatura, Deus intervém de forma contínua no desenrolar da história tomando iniciativas para que a livre vontade do homem não afogue seu próprio futuro.

- Jesus Cristo já entrou nos céus (v.14): isso nos mostra que o próprio Pai já tomou a iniciativa de enviar Seu filho para curar a alma do homem. O fato de Jesus estar agora no céu, não significa que Ele está inerte. Pelo contrário, ele intercede por nós (Rm 8.34; 1Jo 2.1) e nos prepara um lugar (Jo 14);
- Prestar contas a Deus: Jesus é nosso advogado e por isso não precisaremos rever o filme de nossa vida diante do Pai. Entretanto, saber que Jesus intercederá por todos os genuínos cristãos naquele Dia, deveria manter todos eles com uma certa vergonha de pecar contra Deus, por causa da graça de Jesus (temor a Deus - Pv 1.7);
- Jesus é simpático por nós, ou seja, Ele se compadece, participa no sofrimento de outrem, comunga sentimentos. Ele sabe exatamente como nos sentimos e intercede por nós (como dito acima).

Obstáculos à Formação Espiritual
As sugestões abaixo são para evitarmos os obstáculos.

Apresentar-se
Apresentar-se a Deus (v.13 - prestar contas)
- Sugere que quedas serão inevitáveis durante nossa caminhada ao trono da graça, mas a consciência da presença do Senhor deve nos manter longe do pecado.

Apegar-se

Apegar-se com toda firmeza à fé que professamos (v.14)
- Firmeza: sugere dificuldades de nível elevado. Este é um alerta para nos deixar preparados;
- A frase também sugere passividade à hipocrisia, caso aquilo que professamos não seja de fato a fé que nos apegamos.

Aproximar-se
Aproximar-se do trono da graça (v.16)
- Somos passíveis de estar longe do trono da graça;
- Devemos cotidianamente caminhar em direção ao trono dEle.

Não é suficiente ver o coração sem correr até a cruz.
- David Merkh

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Reconvocados à Comunhão (Ap 3.20)

Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo - Apocalipse 3.20 (NVI)

Já ouvi diversas vezes a passagem supra sendo utilizada no evangelismo. Existem diversos folhetos evangelísticos que a utilizam. No entanto este não é o uso correto da passagem segundo uma hermenêutica literal. Serei objetivo:

1- O contexto indica que Laodicéia era a igreja destinatária. Isso sugere que os leitores são cristãos;

2- Quem bate na porta é Jesus Cristo, a segunda Pessoa da Trindade. Não é Jesus que habita nos cristãos, mas o Espírito Santo, a terceira Pessoa da Trindade.

3- Jesus quer entrar por aquela porta para cear com os indivíduos da igreja, ou seja, restabelecer a comunhão (koinonia)
que outrara tivera com eles.

4- O contexto diz que Deus repreende e disciplina aqueles que Ele ama
(v.19). À luz de Hebreus 12.6 sabemos que aqueles que Deus disciplina são os que Ele tem como filho.

É meu desejo entender holisticamente a Palavra de Deus, apesar de minhas limitações. Contudo, que todas as dificuldades sejam superadas por Ele em mim. Que este também seja o genuíno desejo de Cristãos que têm as Escrituras como alicerce da abundante vida.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Jonathan Edwards: Avivamento

Jonathan Edwards nos revela que a verdadeira crise da igreja não é o secularismo externo, porém o tédio dentro das quatro paredes. Quando a igreja se torna fria em relação a Cristo, à verdade, à salvação, às verdades sobrenaturais e às esperanças futuras, corremos perigos. O mal que aflige a igreja contemporânea é a frieza, não a impotência (pg. 136).

...essa "frieza" parecia ser um período em que as realidades de Deus e Seu evangelho ficavam tão apagadas, a descrença e o amor pelas coisas do mundo tão fortes, que o coração da igreja se perdia em busca dos luxos e trivialidades de uma mente secularizada (...) mas a frieza não é demonstrada somente pelo pecado, sendo vista também no formalismo da religião (pg. 135).

O avivamento nos ajuda a cumprir o grande objetivo da criação: glorificar a Deus ao ter prazer nEle como a grande fonte e objetivo final de todas as coisas (...). Edwards nos lembra de que o avivamento vem para destruir o mal da frieza espiritual, que seguidamente anda de mãos dadas com a ênfase excessiva no ser humano e em suas conquistas. Além disso, ele produz uma maneira de ver todas as coisas que está centrada em Deus (pg. 138).

Mark Shaw, Lições de Mestre (SP: Mundo Cristão, 2004).

Miles Stanford: Decepção


Ficar decepcionado consigo mesmo, significa ter acreditado em si mesmo.


--Miles Stanford

domingo, dezembro 09, 2007

Leon Tolstoi: O Ideal Cristão Mudou...

O ideal cristão mudou e inverteu tudo, de forma que, como é dito no evangelho: "aquilo que tem muito valor entre os homens é detestável aos olhos de Deus". O ideal já não é a grandeza de um faraó ou de um imperador romano, nem a beleza de um grego ou a riqueza da Fenícia, mas a humildade, a pureza, a compaixão e o amor. O herói não é o rico, mas o Lázaro; não a Maria Madalena em seus dias de beleza, mas no dia de seu arrependimento; não os que adquirem riquezas, mas as que as abandonam; não as que moram em palácios, mas os que vivem em catacumbas e cabanas; não os que dominam sobre os outros, mas os que não admitem nenhuma autoridade além da de Deus.

-- Leon Tolstoi, What is Art [O que é Arte]

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Marcas da Vida

A man leaves all kinds of footprints when he walks through life. Some you can see... Others are invisible, like the prints he leaves across other people's lives.

Um homem deixa todos os tipos de pegadas quando anda pela vida afora. Algumas você pode ver... Outras são invisíveis, como as marcas que ele deixa na vida de outras pessoas.

-- Margaret Lee Runbeck



Quando eu leio a frase acima, à priori não penso nas coisas boas que Deus fez através de mim. A história a seguir reflete muito bem o que me vem à mente quando leio a frase de Margaret.

Era uma vez um menino mau. Certo dia seu pai lhe deu um pacote de pregos para ajudá-lo em lhe mostrar como era sua atitude com seus amigos. Disse-lhe para cravar um prego na madeira da cerca todas as vezes que perdesse a paciência e discutisse com algum deles.

No primeiro dia ele pregou 37 pregos, mas com o passar do tempo ele diminuia a quantidade de pregos cravados na cerca significativamente. Notável e notoriamente ele começara a se controlar e a cada dia utilizava menos pregos.

Finalmente chegou o dia no qual o rapaz não cravou prego algum na madeira da cerca. Ele foi até seu pai e contou a alegre notícia. O pai então lhe deu uma nova tarefa. Disse-lhe para retirar da cerca um prego por dia que não perdesse a paciência e discutisse com seus amigos.

Muito tempo se passou quando a cerca estava totalmente sem pregos. O menino, entusiasmado, correu em direção ao pai e contou que a cerca estava totalmente vazia de pregos.

"Meu filho, você se comportou bem, mas veja quantos buracos de prego há na cerca. Ela não será como antes. Quando você magoa alguém, deixa marcas. Sempre deixará uma ferida..."
----------

Apesar do triste fim, creio que esta "estória" seja uma ótima representação da verdade cotidiana. Todavia, também creio que tais buracos possam ser restaurados, exclusivamente pela tão esquecida GRAÇA!

sábado, dezembro 01, 2007

O Verbo se Fez Carne...

"The Word became flesh," John said... He was touchable, approachable, reachable. And, what's more, he was ordinary. If he were here today you probably wouldn't notice him as he walked through a shopping mall. He wouldn't turn heads by the clothes he wore or the jewelry he flashed. "Just call me Jesus," you can almost hear him say.
"O verbo se fez carne," falou João... Ele era tocável, acessível, alcançável. E, mais ainda, ele era medíocre. Se ele estivesse hoje aqui, você provavelmente não o notaria caminhando pelo shopping; ninguém olharia para ele por causa das roupas e reluzentes jóias. "Chame-me de Jesus", você quase o ouve dizer.
-- Max Lucado

sexta-feira, novembro 30, 2007

Leão e Sonya Tolstói: Uma boa idéia?

Tenho lido Maravilhosa Graça de Phillip Yancey (Ed. Vida). Abaixo transcrevo uma pequena parte do livro que hoje me chamou muito a atenção.

Leão Tolstói achou que iniciara bem seu casamento permitindo que a noiva adolescente lesse seus diários, que registravam com sensacionais detalhes todas as suas brincadeiras sexuais. Ele não queria guardar segredos para Sonya - queria iniciar um casamento com a ficha limpa, perdoado. Em vez disso, a confissão de Tolstói semeou as sementes de um casamento que seria sustentado com vides de ódio, e não de amor.

"Quando ele me beija, estou sempre pensando: 'eu não sou a primeira mulher que ele amou'", escreveu Sonya Tolstói em seu diário. Alguns impulsos adolescentes do marido ela conseguia perdoar, mas não o caso de Axinya, uma mulher camponesa que continuou trabalhando na propriedade de Tolstói.

"Um dia desses eu me mato por ciúmes", Sonya escreveu depois de ver o filho de três anos de idade da camponesa, a imagem exata de seu marido. "Se eu pudesse matá-lo (Tolstói) e criar uma pessoa nova exatamente como ele é agora, eu o faria alegremente."

Outra anotação no diário datada de 14 de janeiro de 1909: "Ele gosta daquela prostituta camponesa com o forte corpo de fêmea e pernas queimadas de sol, ela o atrai tão poderosamente agora como fazia durante todos aqueles anos passados..." Sonya escreveu essas palavras quando Axinya era uma encarquilhada velha de oitenta anos.

Foi a idéia de Leão Tolstói boa ou ruim? Comente.

Pensei muito em Paulo...

Ontem e hoje foram dias que eu pensei muito sobre a vida do apóstolo Paulo. Ele, como Saulo (seu nome antes da conversão), foi um tremendo assassino (Fp 3.6; 1Tm 1.13). Sua lista de pecados dava inveja a muitos que gastam tempo tramando seus planos maléficos. Ele mesmo diz em sua carta a Timóteo, Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior (1Tm 1.15).

Sei que há conseqüências de minhas escolhas pelo pecado que perduram até hoje e que geraram péssimos resultados para minha vida. Alguns poderiam dizer: "é que você ainda não se perdoou". A Bíblia não ensina o perdão próprio. O perdão é sempre vertical ou horizontal destinado à outra(s) pessoa(s), mas isso é conversa para outro dia. A pergunta é: como viver diante de águas passadas que constantemente voltam?

Depois da conversão de Saulo, seu foco era tão convergido na vida de Cristo Jesus, que nem traços de sua antiga ímpia vida percebo. Isso não significa que não acho que sua vida pré Cristo não o potencializou a ser quem foi. Não tenho dúvidas que a experiência que ele teve antes do recebimento do passaporte celeste foi significante para se tornar a pessoa que as Escrituras nos revela. Contudo, será que ele não tinha momentos que o levava para baixo, em função do seu passado como escravo do pecado?

Meu triste pecado, por meu Salvador,
Foi pago de modo cabal;
Valeu-me o Senhor, ó mercê sem igual!
Sou feliz! Graças dou a Jesus!
SPAFFORD, Horatio G. Sou feliz. Cantor Cristão, hino 398. Juerp: Rio de Janeiro 1995

Respondendo à pergunta acima, eu creio que sim, que Paulo tinhas seus momentos "baixos" com Deus. Ele nos diz em Romanos: não entendo o que faço, pois não faço o que desejo, mas o que odeio (7.15). Ele disse "faço" e não "fazia". Ainda assim, ele se mostra, nas Escrituras, alguém incentivado pelo passado, enquanto "perdeu tempo", enquanto vivia sem o único e verdadeiro Deus.

Encontro, também em suas letras, uma solução para viver como Paulo, incentivado à louvar a Deus através de seu terrível passado, sem comunhão com Ele:
1. Busque a Deus - procurem as coisas que são do alto (Cl 3.1);
2. Pense nEle - Mantenham o pensamento nas coisas do alto (Cl 3.2);
3. Abandone o pecado - abandonem todas estas coisas... (Cl 3.7);
4. Viva o novo homem (ressurreto) - revistam-se (Cl 3.3,12);
5. Medite nas Escrituras - Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo (Cl 3.16);

Espero que a vida de Paulo ainda influencie muitas pessoas.

Tornem-se meus imitadores,
como eu o sou de Cristo

(Palavras do apóstolo Paulo, 1Co 11.1 - NVI)

quinta-feira, novembro 29, 2007

Carta Natalina aos Meus Vizinhos

Hoje de manhã me senti impelido para escrever uma carta e então distribuí-la em meu bairro. Não pude deixar de desejar um genuíno feliz Natal para meus vizinhos. Espero que esta possa ser um incentivo para muitos cristãos poderem proclamar sobre a verdadeira razão da existência do Natal nesta época.



Olá vizinhos do Res. Burato,

Meu nome é Thiago Zambelli e sou morador do bairro, assim como vocês. Moro na rua Alberto G. Pimentel. Estou aqui desde o começo do ano, e devo confessar que gosto muito deste lugar. Essa breve carta é na verdade, para dizer “Feliz Natal”, mas gosto de colocar um pano de fundo...

O Natal é o feriado mais esperado do ano e empiricamente, todos nós sabemos disso. Shoppings montam suas árvores dois meses antes da data, comerciais surgem na televisão muito tempo antes do dia 25/Dez, que na verdade, não tem nada a ver com árvore e tampouco com presentes do Papai Noel.
Não sou favorável à utilização da árvore de natal, mas não corro absolutamente contra a cultura dominante. Em casa, temos uma pequena árvore que gosto de chamar de árvore de Jessé.

Um ramo surgirá do tronco de Jessé,
e das suas raízes brotará um renovo.
O Espírito do SENHOR repousará sobre ele,
o Espírito que dá sabedoria e entendimento,
o Espírito que traz conselho e poder,
o Espírito que dá conhecimento e temor do SENHOR.
E ele se inspirará no temor do SENHOR.
Não julgará pela aparência, nem decidirá com base no que ouviu.

Isaías 11.1-3 (NVI)

A Bíblia é o livro base da fundamentação do Natal. Sabemos que no Natal é comemorado o dia do nascimento de Jesus Cristo, mas na prática, são poucos os lares que o fazem.

A passagem de Isaías traz um nome muito conhecido por Israel: Jessé. Infelizmente nós brasileiros não damos muita bola para genealogias. Este homem foi o pai do rei mais respeitado da nação de Israel, Davi. Há muita informação sobre este grande rei e alguns concordarão... A informação mais preciosa é que ele seria o pai (antecedente) daquele descrito como o renovo (broto, galho novo) da passagem bíblica acima: Jesus Cristo.

Na árvore genealógica de Jessé, pai do rei Davi, está o Rei dos reis, Senhor dos senhores (1Tm 6.15), para quem nosso Natal deveria ser celebrado. No contexto bíblico, os presentes foram dados a Jesus e se deveríamos trocar presentes, como sugere o time de fãs do Papai Noel, deveria ser para lembrarmos que o Salvador nasceu, e por causa dEle temos livre acesso ao céus.

Meu desejo e felicitação é que todos nós voltemos nossos corações à essência do Natal. Nessa data tão esperada no mundo todo, a razão pela qual deveríamos nos alegrar se tornou secundária, às vezes nem mesmo isso, tudo como uma fajuta desculpa para comermos castanhas e gordos perus. Por isso tudo...

Feliz Natal!

segunda-feira, novembro 12, 2007

Madre Teresa e as Obras de Amor

Be faithful in the little practices of love which will build in you the life of holiness and make you Christlike.


Tradução:
Seja fiel nas pequenas práticas de amor, que irá construir em você uma vida de santidade e fazê-lo como Cristo - Madre Teresa de Calcutá.
Desconheço as pessoas que a já falecida e mundialmente querida Madre Teresa destinou a frase acima. Apesar de gostar da essência da frase, eu não concordo com ela.

Conforme a ordem da frase dela, eu entendo que a demonstração de amor [através das obras] é pré-requisito para que eu seja mais santo. A palavra de Deus nos ensina que há um pré-requisito para a santidade: a posse pessoal do Espírito Santo que somente tem quem aceitou o sacrifício expiatório de Jesus Cristo na cruz.

Então lhe perguntaram: "O que precisamos fazer para realizar as obras que Deus requer?" Jesus respondeu: "A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou" - João 6.28-29

A essência da frase que eu gosto, é justamente o incentivo à prática do amor. A conclusão da prática, conforme a madre, é um equívoco, segundo a Bíblia. O apóstolo Paulo escreveu o seguinte para crentes...

Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus - 2Co 7.1

Note bem as palavras de Paulo à igreja de Corinto. Apesar de não ser um versículo de explanação exaustiva, de que forma é possível, segundo o apóstolo, aperfeiçoar a santidade?

Tudo o que eu escrevi não nega que ao praticar o amor, o santo [o crente nEle] se torna mais santo, ou seja, desenvolve positivamente sua santidade. A questão é o pré-requisito para haver santidade. Santidade é algo inerente ao santo e nem todos são santos. Os filhos de Deus são os que se apropriam deste título [por causa da graça de Deus somente].

Mas agora ele os reconciliou pelo corpo físico de Cristo, mediante a morte, para apresentá-los diante dele santos, inculpáveis e livres de qualquer acusação - Cl 1.22

É preciso que pratiquemos o amor. Deus é amor e quer que toda Sua criação o pratique. Entretanto, mais do que praticar o amor, Seu desejo é que a prática do amor seja em função do nosso desejo em ser como Jesus Cristo, o amor em pessoa.

Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor - Hb 12.14

segunda-feira, outubro 29, 2007

Toda Sorte de Bênçãos

As palavras abaixo não têm o objetivo de denegrir alguém ou alguma coisa, mas de conduzir os cristãos a refletirem biblicamente o que leem, escutam e cantam.


Qual a relação entre a letra desta canção e a Palavra de Deus?

Toda Sorte de Bênção
Ministério Apascentar de Nova Iguaçú Composição de Davi Sacer, Verônica Sacer e Ronald Fonseca


Por onde eu for a tua bênção me seguirá Onde eu colocar as minhas mãos prosperará
A minha entrada e a minha saída bendita será
Pois sobre mim há uma promessa
Prosperarei, transbordarei

Os meus celeiros fartamente se encherão
A minha casa terá sempre tua provisão Onde eu puser a planta dos meus pés possuirei Pois sobre mim há uma promessa
Prosperarei, transbordarei

Para direita, para esquerda
A minha frente e para trás
Por todo lado, sou abençoado
Em tudo o que eu faço sou abençoado Toda sorte de bençãos
O Senhor preparou para mim
E em todas as coisas Eu sou mais do que vencedor

A prosperidade é um tema muito convidativo. Igrejas, especialmente evangélicas, se utilizam deste tema para criar (boas) expectativas na vida de pessoas, quando na verdade, Jesus nunca prometeu ao cristão uma vida exclusivamente próspera, sem problemas.

Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo. (João 16.33)

Por onde eu for a tua bênção me seguirá
Por bênção eu posso entender diferentes coisas. Posso pensar que a bênção da presença de Deus ao meu lado me segue para todos os locais, ou que a bênção que Cristo já proveu através de sua morte, a salvação, estará comigo por todos os cantos. Entretanto, é claro nesta canção, que salvação não é questão.

Onde eu colocar as minhas mãos prosperará
Posso entender essa frase de duas diferentes formas: 1- O autor acha que tem poder para abençoar, quando na verdade, dependemos totalmente de Deus para isso (podemos ser instrumentos de Deus para isso, eis a verdade); 2- O autor se considera santo de tal maneira que aquilo que ele decidir fazer, será bem sucedido, se esquecendo que em suas mãos há o pecado pelo qual Cristo teve de morrer por. Mãos pecaminosas não são mãos que têm a escolha e poder de fazer prosperar. A prosperidade provém do Senhor, que a concede quando Ele bem quiser, do jeito que quiser.

A minha entrada e a minha saída bendita será
O que será bendita, a entrada ou a saída? Posso até entender o singular como uma "licença poética", mas o português correto para expressar tanto a entrada como a saída seria "benditas serão". Ademais, que entrada e saída são essas?

Pois sobre mim há uma promessa Prosperarei, transbordarei
Neste ponto eu não posso concordar com o autor da canção, pois esta promessa simplesmente não existe. Se o autor quisesse dizer que fatidicamente ele estaria nos céus com o Senhor em função da salvação dada por Cristo Jesus, eu diria "ok", ainda assim forçando o significado da palavra prosperidade. Sabemos que não é disso que ele trata, como (mal) educa o todo da canção.

Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. João 20.15

Os meus celeiros fartamente se encherão
Aqui ratifico o que eu disse supra. A prosperidade desta canção tem total ligação com riquezas e sustâncias que não são garantidas nesta vida.

A minha casa terá sempre tua provisão
Certa resposta!!! Bem, não há como negar, mas colocarei de uma forma mais clara o que eu entendo por essa frase: se não houver a provisão de Deus, a própria vida seria esvaecida. Em Jesus, tudo subsiste (Cl 1.17). Se minha casa não for provida pela mão do Todo-Poderosos, não haverá força que a deixará em pé. Note bem, a mão dEle (Deus), não dele (homem).

Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração. Romanos 12.12

Onde eu puser a planta dos meus pés possuirei
Quanto mais a letra da música se desenrola, mais eu percebo a raiz do problema. Uma equivocada interpretação veterotestamentária pode causar muitos problemas para a igreja. Isso inclui, por exemplo, tomar posse de promessas que foram feitas para Israel. Para quem Javé disse: De onde você está, olhe para o norte, para o sul, para o leste e para o oeste: toda a terra que você está vendo darei a você e à sua descendência para sempre (Gn 13.14-15)? Foi para você e para mim? NÃO! Foi para Abraão (naquele momento ainda Abrão)!!! Espero, do fundo de meu coração, que as pessoas ao cantar esta música não pensem que herdarão ou possuirão terras conforme o toque de seus pés. Na verdade, não acredito que elas pensem  assim quando cantam, apesar de ser possível. A questão é que a letra dessa música injeta uma falsa esperança do início ao fim por causa de um equívoco, que se repete no refrão:

...Pois sobre mim há uma promessa Prosperarei, transbordarei
Não há promessa de exclusiva prosperidade para a igreja!


E aquele que não carrega sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo. Lucas 14.27

Para direita, para esquerda A minha frente e para trás Por todo lado, sou abençoado Em tudo o que eu faço sou abençoado
Se isso for verdade, como alguém pode ser abençoado no pecado? A letra não diz em tudo o que eu faço? Talvez alguém, em sua mal compreensão sobre pecado diga: "eu não tenho pecado". Então transcrevo aqui as letras de João, se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós (1Jo 1.8). Claro, eu posso estar reagindo equivocadamente baseando-me no que, possivelmente, é uma hipérbole. Todavia, não nego a possibilidade de alguém entender que não pagar os devidos impostos tem seu lugar no Reino de Deus; ou que acelerar para uma velocidade acima do permitido seja 'ok'; ou que "ficar" faz parte natural na percepção da escolha de um bom cônjuge; etc.

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações. (Tiago 1.2)

Toda sorte de bençãos O Senhor preparou para mim
Também concordo com esta sentença, mas infelizmente bênção aqui parece refletir o que a música toda já disse: bençãos = riquezas, prosperidade.

Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Mateus 5.11

E em todas as coisas Eu sou mais do que vencedor
Que tal colocarmos tal passagem dentro de seu contexto? Leia Romanos capítulo 8. Essa canção segue o fluxo natural que impera as músicas evangélicas mais tocadas em rádios e cantadas em congregações. O foco de sua letra não está em Deus, mas no homem; não no Criador, mas na criatura. Que a cada dia, os discípulos de Jesus Cristo estejam cantando com mais alegria e especialmente mais entendimento. Não seremos mais íntimos de Deus por cantarmos mais alto, mas por saber quem de fato Ele é.

...cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
1Coríntios 14.15b

terça-feira, outubro 23, 2007

Leão de Judá - Música

A música "Leão de Judá", autoria de Silvério Peres conforme vários websites, tem um tema bastante discutido por acadêmicos, pouco ensinado nas igrejas e mal conhecido pela família da fé.

O tema não é o nome do título da música, mas a expressão "Dia do Senhor".


Ouve-se o júbilo de todos os povos
Os reis se prostraram ao Senhor
Ouve-se o brado de vitória
O dia do Senhor chegou

Ouve-se em todos os povos
Que um novo rei surgiu
Impérios reconhecem
Sua destra reinará

Leão de Judá, Leão de Judá
Leão de Judá prevaleceu

E os povos verão e virão
A Sião aprender sua lei
Pois a sua justiça governará

Algumas perguntas para reflexão:
  • Já se ouve o júbilo de todos os povos?
  • Quais reis se prostraram ao Senhor?
  • Que brado de vitória é este?
  • O que é o Dia do Senhor?
  • Quem é este novo rei que já surgiu?
  • Quais impérios reconheceram o poder deste novo rei?
  • Quem é o Leão de Judá?
  • O Leão prevaleceu contra o quê? Contra quem?
  • Onde fica Sião?
  • Por que preciso ir até Sião para aprender tais leis?
  • Se o Leão de Judá já prevaleceu, por que sua justiça ainda não governa?

    Chorem, pois o dia do SENHOR está perto;
    virá como destruição
    da parte do Todo-poderoso.
    Por isso, todas as mãos ficarão trêmulas,
    o coração de todos os homens se
    derreterá.
    Ficarão apavorados,
    dores e aflições os dominarão;
    eles se contorcerão como a mulher
    em trabalho de parto.
    Olharão chocados uns para os outros,
    com os rostos em fogo.
    Vejam! O dia do SENHOR está perto,
    dia cruel, de ira e grande furor,
    para devastar a terra
    e destruir os seus pecadores.
    As estrelas do céu
    e as suas constelações
    não mostrarão a sua luz.
    O sol nascente escurecerá,
    e a lua não fará brilhar a sua luz.
    Castigarei o mundo por causa da sua maldade,
    os ímpios pela sua iniqüidade.
    Darei fim à arrogância dos altivos
    e humilharei o orgulho dos cruéis.
    Tornarei o homem mais escasso
    do que o ouro puro,
    mais raro do que o ouro de Ofir.
    Por isso farei o céu tremer,
    e a terra se moverá do seu lugar
    diante da ira do SENHOR dos Exércitos,
    no dia do furor da sua ira.
    Isaías 13 6.-13 (NVI)


    Resposta ao comentário de Pr Romivaldo:
    Caro, ao escrever este post, meu(s) interesse(s) foi(ram): (1) fazer com que as pessoas refletissem sobre o que estão cantando, (2) especialmente no que tange o significado de Dia do Senhor. Sem dúvida o autor se dirigiu ao futuro e eu sei disso, mas será que todos os irmãos que nos cerca  sabe disso também? Minhas perguntas foram para ajudar os leitores deste post a pensar.

    segunda-feira, outubro 15, 2007

    Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal


    E o SENHOR Deus ordenou ao homem: "Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá" 

    (Gn 2.16-17 NVI).

    quinta-feira, outubro 04, 2007

    Propósito de Viver

     
    Without God, life has no purpose, and without purpose, life has no meaning. Without meaning, life has no signficance or hope. The greatest tragedy is not death, but life without purpose ... Without a purpose, life is motion without meaning, activity without direction, and events without reason. Without a purpose, life is trivial, petty and pointless.

    Tradução:
    Sem Deus a vida não tem propósito, e sem propósito, a vida não tem significado. Sem significado, a vida não tem esperança. A maior tragédica não é a morte, mas a vida sem propósito... Sem propósito, a vida é movida sem significado, atividade sem direção e eventos sem razão. Sem um propósito, a vida é trivial, secundária e sem rumo - Rick Warren.

    Muitos são os planos no coração do homem,
    mas o que prevalece é o propósito do SENHOR
    Provérbios 19.21

    Você já conhece o propósito de sua existência?

    quarta-feira, outubro 03, 2007

    Todah


    A palavra "todah", conforme escrito na figura acima e também no título deste blog, aparece na Bíblia em 29 ocasiões. Seu significado conforme o léxico Strongs:

    1) confissão, louvor, ação de graças.
    1a) dar louvor a Deus;
    1b) ação de graças em cânticos de culto litúrgico, hino de louvor;
    1c) coro ou procissão ou linha ou companhia de acão de graças;
    1d) oferta de gratidão, sacrifício de ação de graças;
    1e) confissão.
    Essa palavra deriva de "yadah", que surge 111 vezes na Bíblia.

    Aquele que me traz ofertas de gratidão está me honrando, e eu salvarei todos os que andam nos meus caminhos
    (Salmo 50.23 - NTLH)

    Princípios Éticos - Licitude e Conveniência


    "Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada me domine.
    (1Coríntios 6.12)

    A licitude de fazer algo não pode caminhar sozinha. Não basta, ao cristão, justificar-se com um simples "posso ou não posso". É necessário que ele vá além disso. É necessário que ele leve em consideração se é conveniente (que é apropriado, oportuno - Houaiss) levar adiante seu pensamento.

    O que desejo fazer é lícito? Convém fazer, segundo a Palavra de Deus?

    terça-feira, outubro 02, 2007

    Princípios Éticos - Fé

    A palavra de Deus, a Bíblia, deve ser a base de conduta e fé para o cristão. Ele deve andar conforme as estipulações, decretos, ordens, mandamentos, exortações, leis e etc, que estão nas sagradas Escrituras. Não obstante, sua convicção sempre deverá ser fundamentada na Bíblia e não em tradições religiosas ou crenças populares.

    Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado (Rm 14.22-23 NVI).

    Tal versículo nos remete a seguinte pergunta, que nos ajuda a avaliar nossa conduta como filhos de Deus:

    O que pretendo fazer ou dizer é de fé, com base na Palavra de Deus?

    quinta-feira, setembro 27, 2007

    Ciclo Maluco - Amor e Respeito

    Recentemente comecei a ler o livro "Love and Respect" (Amor e respeito) escrito por Emerson Eggerichs. O livro é excelente para todo casal que quer entender melhor a relação homem-mulher conforme o desejo de Deus.

    Infelizmente ainda não temos o livro disponível em português, mas para aqueles que têm o privilégio de ler em inglês ou espanhol, adquirir o livro e queiram investir em seu relacionamento conjugal, essa é uma excelente dica.

    O livro se fundamenta no seguinte versículo bíblico:

    ...cada um de vocês
    também
    ame a sua mulher como a si mesmo,
    e a mulher trate o marido com todo o
    respeito
    (Ef 5.33)

    Amor e respeito são as principais palavras chaves do livro. O autor foca os desejos mais naturais de cada gênero, demonstrando quão importante é a mulher se sentir amada e o homem respeitado.

    Não somente, o autor insere a tese que o mais natural é o homem não agir com amor quando a mulher não age com respeito, assim como a mulher agir com falta de respeito, quando o homem age com falta de amor. O "ciclo maluco" (crazy cycle - nome dado por Emerson), é apresentando logo no início do livro e permeia por todo ele. Somente a maturidade de um dos cônjuges é capaz de parar o ciclo.

    Espero que estas poucas palavras, a disposição e a disponibilidade em obter o livro, possam incentivá-lo a investir em seu relacionamento conjugal para refletir a imagem de nosso triúno Deus através desta ferramenta.

    O livro já é vendido por algumas livrarias nacionais. Para encontrá-lo, entre em um website de busca de lojas (shopping) e digite o título do livro em espanhol ou inglês (love and respect ou amor y respeto).

    quarta-feira, setembro 26, 2007

    Watch the Lamb! (vídeo, letra e tradução)


    Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!João 1.29

    Música: Ray Boltz.
    Animação: ?
    video

    Letra e tradução:
    Walking on the road to Jerusalem,
    Andando na rota para Jerusalém,

    The time had come to sacrifice again,
    O tempo de sacrifício havia chegado,

    My two small sons,
    Meus dois pequenos filhos,

    They walk beside me down the road,
    Andavam ao meu lado comigo,

    The reason that they came
    A razão pela qual eles vieram,

    it's to watch the lamb.
    Era para ver o cordeiro.

    Daddy, daddy,
    Papai, papai,

    What will we see there,
    O que nós veremos lá?

    There's so much that we don't understand,
    Há muito que não entendemos.

    So I told them of Moses and father Abraham,
    Então eu falei para eles sobre Moisés e o pai Abraão,

    Then I said dear children
    Então eu falei, queridas crianças,

    watch the lamb,
    Vejam o cordeiro!

    There will be so many in Jerusalem today,
    Haverá muitos hoje em Jerusalém,

    We must be sure this little lamb
    Nós temos que assegurar que este cordeirinho

    doesn't run away,
    Não fuja.

    And I told them of Moses and father Abraham,
    E eu falei para eles sobre Moisés e o pai Abraão,

    Then I said dear children
    Então falei: queridas crianças

    watch the lamb.
    Vejam o cordeito.

    When we reached the city,
    Quando chegamos à cidade,

    I knew something must be wrong,
    Eu sabia que alguma coisa estava errada.

    There were no joyful worshipers there,
    Não havia adoradores alegres por lá,

    No joyful worship songs,
    tampouco alegres canções de adoração

    I stood there with my children in the midst of angry men,
    Eu fiquei lá com minhas crianças no meio de homens irados,

    Then I heard the crowd cry out
    Então ouvi a multidão clamar:

    Let's Crucify Him.
    Vamos crucificá-lo!

    We tried to leave the city
    Nós tentamos deixar a cidade

    we could not get away,
    mas não conseguimos sair,

    Forced to play in this drama
    Forçado a fazer parte deste drama

    a part I did not want to play,
    Um papel que eu não queria ter parte.

    Why upon this day were men condemned to die,
    Por que neste dia alguém homens estavam condenado à morte?

    Why were we standing right here,
    Por que estávamos de pé aqui,

    Where soon they would pass by.
    Onde em breve eles passariam?

    I looked and I said, even now they come,
    Eu olhei e falei, agora eles veem,

    The first one cried for mercy,
    O primeiro chorava por misericórdia,

    The people gave him none,
    O povo não concedeu.

    The second one was violent,
    O segundo era violento,

    He was arrogant and loud,
    Ele era arrogante e gritava.

    I still can hear his angry voice screaming at the crowd,
    Eu anda consigo ouvir sua irada voz gritando para a multidão.

    Then someone said there's Jesus,
    Então alguém disse: ali está Jesus,

    I scarce believed my eyes,
    Meus olhos mal acreditavam,

    A man so badly beaten,
    Um homem muito espancado,

    He barely looked alive,
    Ele mal parecia estar vivo.

    Blood poured from His body,
    Sangue saía de seu corpo,

    From the thorns on His brow,
    dos espinhos em sua fronte,

    Running down the cross,
    escorrendo pela cruz,

    Falling to the ground.
    Caindo no chão.

    I watched Him as He struggled,
    Eu o vi quando agoniava,

    and I watched Him as He fell,
    Eu o vi quando ele caiu,

    The cross came down upon His back,
    A cruz caiu sobre suas costas,

    The crowd began to yell,
    A multidão começou a gritar.

    In that moment I felt such agony,
    Naquele momento eu senti muita agonia,

    In that moment I felt such loss,
    Naquele momento eu senti grande perda.

    until a Roman soldier grabbed my arm
    Até que um soldado romano agarrou em meu braço

    and screamed, you, carry His cross.
    E gritou: você! carrega a cruz dele.

    At first I tried to resist him,
    À priori eu tentei resistir,

    but his hand reached for his sword,
    Mas sua mão alcançou sua espada,

    So I knelt and I took the cross from the Lord,
    Então me ajoelhei e peguei a cruz do Senhor.

    I put it on my shoulder,
    Eu a coloquei em meu ombro,

    And started down the street,
    E trilhei pela rua,

    The blood that he'd been shedding
    O sangue que ele estava derramando

    was running down my cheek.
    escorria pela minha bochecha.

    They led us to Golgotha,
    Eles nos levaram a Gólgota.

    They drove nails deep in His feet and hands,
    Eles pregaram profundamente em seus pés e suas mãos,

    Yet upon the cross I heard Him pray
    Ainda, na cruz eu o ouvia orando

    Father, forgive them.
    Pai, perdôe-os.

    Never have I seen such love in any other eyes,
    Eu nunca vi tão grande amor e nenhum outros olhos

    Into thy hands I commend my spirit
    Em sua mão eu entrego meu espírito

    He prayed then He died,
    Ele orou e então morreu,

    I stood for what seemed like years,
    Parecia anos que eu havia ficado ali parado,

    lost all sense of time
    Perdi todo o senso de tempo

    then I felt two tiny hands holding tight to mine,
    Então eu senti duas mãozinhas apertadas às minhas,

    My children stood there weeping,
    Minhas criaças ficaram ali chorando muito,

    I heard the oldest say,
    Ouvi o mais velho dizer,

    Father please forgive us,
    Pai, por favor perdoê-nos,

    the lamb ran away.
    O cordeiro fujiu.

    Daddy, daddy,
    Papai, papai,

    What have we seen here,
    O que nós vimos aqui?

    There's so much that we don't understand,
    Há muito que não entendemos.

    So I took them in my arms,
    Então eu os peguei em meus braços,

    we turned and faced the cross,
    Nos viramos de frente para a cruz,

    Then I said dear children
    Então eu falei às crianças:

    watch the Lamb.
    Vejam o cordeiro!

    terça-feira, setembro 25, 2007

    segunda-feira, setembro 24, 2007

    Produto do passado, mas prisioneiros?

    Por T. Zambelli

    Acredito que o livro de Rick Warren, Vida com Propósitos, pode influenciar muitas pessoas a estarem no caminho que o Senhor almeja. Warren disse:
    We are products of our past, but we don't have to be prisoners of it. God's purpose is not limited by your past. He turned a murderer named Moses into a leader and a coward named Gideon into a courageous hero, and he can do amazing things with the rest of your life, too. God specializes in giving people a fresh start.

    Tradução: Nós somos produtos de nosso passado, mas não temos que ser prisioneiros dele. O propósito de Deus não é limitá-lo com seu passado. Ele fez de um assassino chamado Moisés, um líder, de um covarde chamado Gideão, um corajoso herói, e Ele pode fazer coisas incríveis com o que sobra de sua vida também. Deus é especialista em dar as pessoas um novo começo.

    Em realidade, Ele já começou a transformá-lo, filho de Deus, e sem dúvida, Ele utilizará todos os recursos de sua vida para talhá-lo segundo Sua imagem, inclusive seu passado. Uma excelente notícia, é que por mais perverso que tenha sido seu passado, ele agora poderá ser utilizado para o bem dAquele que primeiro o amou. Ao final, Deus irá completar o que já começou...

    Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês,
     vai completá-la até o dia de Cristo Jesus

    Filipenses 1.6 - NVI

    quinta-feira, setembro 20, 2007

    Sincero Adorar




    Letra e Vocal: Karen Zambelli
    Melodia: André Carreiro
    Violão: Alex Moraes
    Percussão: Lonardo Rabelo


    Você pode também optar pelo áudio somente:


    Vozes reunidas em exaltação
    Louvor sincero em expressão
    somente a Ti soberano Deus
    que reina em toda terra e muito além do céu


    Vidas rendidas em consagração
    Lábios sinceros em confissão
    Perante Ti poderoso Deus
    Autor de toda graça e do sublime amor


    Seja o Teu nome ó Senhor
    Assim engrandecido em nosso caminhar
    Sempre a Ti todo o louvor
    Com toda honra e glória
    Em sincero adorar

    Vídeo amador gravado no dia 15/09/2007 no Festival de Música da Igreja Batista Cidade Universitária em Campinas-SP.



    quarta-feira, setembro 19, 2007

    De Herói Para Super-Herói

    Gosto muito de atividade física. Dentre todas as formas que já experimentei, os esportes coletivos foram os mais gotosos. Acho que estou em um bom nível de prática esportiva também... Entretanto, tenho um amigo que me causa admiração.

    Quase que diariamente, ele acorda muito cedo para seus exercícios físicos. Ele é disciplinado e fiel ao cultivo deste saudável hábito. Ademais, vejo poucos incentivos extrínsecos ao fato de ele poder cultivar tal hábito, o que me deixa mais impressionado ainda.

    De certa forma, vejo que este meu amigo, também irmão em Cristo, tem bom cuidado do santuário do Espírito Santo neste quesito. O apóstolo Paulo, ao escrever para a igreja de Corinto, disse:
    Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? (1Co 6.19)
    Além do cuidado espiritual que devemos ter para com nosso corpo, precisamos cuidar dele fisicamente como próprio reflexo do cuidado que temos com o Espírito, para então glorificarmos a Deus com o nosso próprio corpo (1Co 6.20b).

    Este meu amigo é sem dúvida nenhuma um herói (indivíduo que desperta enorme admiração - Houaiss) para mim. Já acordei várias manhãs mais cedo com o objetivo de fazer uma caminhada ou leve corrida, mas tenho muita dificuldade em me levantar da cama. Meu desejo ainda, é que meu amigo seja, na verdade, um super-herói.

    De que forma pode ele se tornar meu super-herói? Simples... Basta ter ele o mesmo ímpeto de cuidar do santuário do Espírito ao estudar a Palavra do Senhor. Veja abaixo vários versículos (lista não exaustiva) de desejos do salmista ao escrever o Salmo 119 com relação à palavra de Deus.
    16- Tenho prazer nos teus decretos; não me esqueço da tua palavra.
    20- A minha alma consome-se de perene desejo das tuas ordenanças.
    24- Sim, os teus testemunhos são o meu prazer; eles são os meus conselheiros.
    35- Dirige-me pelo caminho dos teus mandamentos, pois nele encontro satisfação.
    40a- Como anseio pelos teus preceitos!
    47- Tenho prazer nos teus mandamentos; eu os amo.
    72- Para mim vale mais a lei que decretaste do que milhares de peças de prata e ouro.
    92- Se a tua lei não fosse o meu prazer, o sofrimento já me teria destruído.
    97 - Como eu amo a tua lei! Medito nela o dia inteiro.
    167 - Obedeço aos teus testemunhos; amo-os infinitamente!

    Da mesma forma percebo como faço muitas outras coisas com mais vontade e prazer, esquecendo-me quem é de fato a origem da alegria de meu coração: o autor da minha salvação, Jesus Cristo.

    Que o desejo de todo cristão, também seja colocar a Sua palavra como prioridade e zelar por isso com grande ímpeto. Que todos os filho de Deus sejam super-heróis.

    terça-feira, setembro 11, 2007

    Fariseus: Rigorosos Demais?

    Hoje de manhã li um capítulo do livro "Introdução à Hermenêutica Bíblica" de Walter C. Kaiser Jr. e Moisés Silva. Um paradigma sobre legalismo foi modificado em mim. Leia o texto abaixo:

    Os fariseus e alguns dos mestres da lei, vindos de Jerusalém, reuniram-se a Jesus e viram alguns dos seus discípulos comerem com as mãos "impuras", isto é, por lavar. (Os fariseus e todos os judeus não comem sem lavar as mãos cerimonialmente, apegando-se, assim, à tradição dos líderes religiosos. Quando chegam da rua, não comem sem antes se lavarem. E observam muitas outras tradições, tais como o lavar de copos, jarros e vasilhas de metal.) Então os fariseus e os mestres da lei perguntaram a Jesus: "Por que os seus discípulos não vivem de acordo com a tradição dos líderes religiosos, em vez de comerem o alimento com as mãos 'impuras'?" Ele respondeu: "Bem profetizou Isaías acerca de vocês, hipócritas; como está escrito: " 'Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens'. Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens". E disse-lhes: "Vocês estão sempre encontrando uma boa maneira de pôr de lado os mandamentos de Deus, a fim de obedecerem às suas tradições! Pois Moisés disse: 'Honra teu pai e tua mãe' e 'Quem amaldiçoar seu pai ou sua mãe terá que ser executado'. Mas vocês afirmam que se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: 'Qualquer ajuda que vocês poderiam receber de mim é Corbã', isto é, uma oferta dedicada a Deus, vocês o desobrigam de qualquer dever para com seu pai ou sua mãe. Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição que vocês mesmos transmitiram. E fazem muitas coisas como essa" (Mc 7.1-13 NVI).

    Sabemos que os fariseus se gabavam de serem cumpridores da Lei de Deus, entretanto eles eram, na realidade, cumpridores das tradições dos homens. Ao perceberem que a Lei de Javé tinha um alto nível de dificuldade em ser cumprida na íntegra, eles as interpretava de forma a torná-las mais "cumpríveis". Além do exemplo do próprio texto, dito por Jesus, a Lei exigia que as dívidas deveriam ser canceladas todo sétimo ano (Dt 15.1-3). Com o medo de perderem seu dinheiro e o risco de não mais recebê-lo, eles estabeleceram que isso é somente válido para os empréstimos pessoais.

    Os fariseus não eram rigorosos demais, eles não eram rigorosos o suficiente!

    De maneira muito semelhante percebo como é fácil e tentador nós justificarmos nossos erros. A culpa nunca é nossa ou o texto bíblico não fala o suficiente para dizer se aquilo que eu fiz é pecado ou não. Isso se chama ignorância! A questão dos fariseus é que eles têm as tradições dos anciãos e as consideram com "pé de igualdade" a Torah (a própria Lei de Deus), assim se baseiam com [falso] fundamento e suas justificativas são válidas [aos homens, mas não a Deus].

    Como Cristãos, devemos saber que a graça divina demonstrada por Deus através de Jesus, o próprio Deus, em nada simplificou o peso da Lei para que nós a cumpríssemos. Pelo contrário, Ele nos disse que o pecado nasce no coração e o ato pecaminoso é a sua exteriorização. A dispensação da graça é em nada mais leve que o peso da Lei mosaica. Que todos os filhos de Deus tenham a consciência disso!

    Que a própria Escritura seja o incentivo para que O obedeçamos...

    Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço (Jo 15.10).

    terça-feira, agosto 07, 2007

    Ao Que Tem Se Lhe Dará

    Mensagem pregada pelo Pr. Fernando Leite.

    Não há nada além de fé, que possa abrir a porta da salvação para os homens.
    Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie
    (Ef 2.8-9).

    Não há nada praticado por nós que nos coloque em uma condição favorável perante Deus.
    Mas quando, da parte de Deus, nosso Salvador, se manifestaram a bondade e o amor pelos homens, não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo (Tt 3.4-5).

    A ênfase de Jesus
    "Ouça!"
    Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça! Considerem atentamente o que vocês estão ouvindo, continuou ele. Com a medida com que medirem, vocês serão medidos; e ainda mais lhes acrescentarão (Mc 4.23-24).

    O Princípio da Revelação
    Deus não quer manter seus filhos na ignorância. Ele quer que conheçamos a Sua mensagem.
    Quando Jesus ficou só, os que estavam junto dele com os doze o interrogaram a respeito das parábolas (Mc 4.10).

    De certa forma as parábolas esclarecem, de outro lado, elas obscurecem.
    Ele lhes disse: A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus, mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas, a fim de que, ainda que vejam, não percebam; ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados (Mc 4.11-12)!

    Ele lhes disse: Quem traz uma candeia para ser colocada debaixo de uma vasilha ou de uma cama? Acaso não a coloca num lugar apropriado? Porque não há nada oculto, senão para ser revelado, e nada escondido, senão para ser trazido à luz
    (Mc 4.21-22).

    Deus não quer esconder de seus filhos o que Ele pensa. Ele quer manifestar e revelar Sua vontade. Deus quer que você conheça as provisões que Ele tem para você. Isto é um princípio de Deus.

    Deus deseja que cada um de nós seja iluminado e compreenda a Sua verdade.

    O Princípio da Prestação de Contas
    Cada revelação que Deus o concede, Ele também mede. Ele não joga Suas palavras ao vento. Ele pedirá contas de tudo o que Ele ensina.

    Considerem atentamente o que vocês estão ouvindo, continuou ele. Com a medida com que medirem, vocês serão medidos... (Mc 4.24).

    Se um homem pecar contra outro homem, os juízes poderão intervir em seu favor; mas, se pecar contra o SENHOR, quem intercederá por ele? (1Sm 2.25a)

    Esta é a inscrição que foi feita: MENE, MENE, TEQUEL, PARSIM. E este é o significado dessas palavras: Mene: Deus contou os dias do teu reinado e determinou o seu fim. Tequel: Foste pesado na balança e achado em falta (Dn 4.25-27).

    Lembre-se: Com a medida com que medirem, vocês serão medidos...

    Não existe a possibilidade de Deus lhe ensinar e agir com indiferença. A sua resposta àquilo que Deus tem disponibilizado e falado é medido por Ele.

    O Princípio da Retribuição
    Considerem atentamente o que vocês estão ouvindo, continuou ele. “Com a medida com que medirem, vocês serão medidos; e ainda mais lhes acrescentarão. A quem tiver, mais lhe será dado; de quem não tiver, até o que tem lhe será tirado (Mc 4.24).

    Por que Deus disse: ainda que vejam, não percebam; ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados? "Falarei para alguns entenderem e para outros não entenderem." Profecia de Isaías; Deus deu um prazo para o povo que foi negligente na seriedade de Deus.

    Como ouvintes nós temos a oportunidade de receber de Deus o juízo e a retribuição.
    Não julguem, e vocês não serão julgados. Não condenem, e não serão condenados. Perdoem, e serão perdoados. Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês (Lc 6.37-38).

    Conclusão
    Promessa para quem tem o coração alinhado com o coração de Deus:
    Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido (Jo 15.7).

    Promessa para quem obedece aos mandamentos de Deus:
    Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço (Jo 15.10).

    O Senhor confia os seus segredos aos que o temem, e os leva a conhecer a sua aliança (Sl 25.14)
    A palavra hebraica para segredo ou intimidade fala de um círculo de intimidade. Há pessoas que estão no círculo da intimidade de Deus. Há pessoas que não. Você possivelmente tem amigos "mais chegados" e outros menos. Deus também.

    Este princípio pode ser ignorado racionalmente, mas não há possibilidade de dizer: "eu não sabia". Da mesma forma, não como justificar-se dizendo: "eu não sabia que não existia a lei da gravidade".

    segunda-feira, julho 30, 2007

    Corpo Vivo

    Esboço da mensagem pregada pelo Pr. Oswaldo Carreiro no dia 08/07/2007. Todas as passagens aqui utilizadas são da Nova Versão Internacional.

    O QUE É A IGREJA
    A- Sua constituição
    Simão Pedro respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Respondeu Jesus: "Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus. E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la (Mt16.16-18).

    B- A Unidade da Igreja
    Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos (Ef 4.4-6).

    RELACIONAMENTO NA IGREJA
    A- Atitudes Negativas
    Divisão (1Co 3.3-4);
    Litígios (1Co 6.7);
    Menosprezo (1Co 12.16,21).

    B- O amor
    Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz (Ef 4.3);

    O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo (Ef. 4.14-15).

    A DIVERSIDADE DA IGREJA
    A- Dons
    Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom é servir, sirva; se é ensinar, ensine; se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente; se é exercer liderança, que a exerça com zelo; se é mostrar misericórdia, que o faça com alegria (Rm 12.6-8).

    B- Funções
    E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado (Ef 4.11-12).

    C- Opiniões e Cultura
    Basta vivenciar o coletivo e notará que há muita diferença entre cada indivíduo, mesmo quando dentro de uma mesma estrutura social.

    CONCLUSÃO
    A- Um Corpo Vivo
    Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em um único Espírito: quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um único Espírito (1Co 12.13);

    Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função (Ef 4.16).

    B- Comunidade em Serviço
    Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos (Rm 15.25).

    C- Ameaças à Vida do Corpo
    Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia (Hb 10.25).