domingo, dezembro 27, 2009

Vara: Instrumento Divino da Disciplina

Ontem vi uma reportagem que mais uma vez me entristeceu. A forma do Criador educar Sua criatura mais uma vez negligenciada por aqueles que se dizem peritos em educação, mas que na verdade nunca se atentaram ao verdadeiro manual de instrução humano. Em pauta, a questão da disciplina física aos filhos.


>> Veja este post no novo layout de Todah Elohim (clique).

terça-feira, dezembro 22, 2009

Benjamim Franklin - É mais fácil guardar os feriados

How many observe Christ's birthday! How few, his precepts! O! 'tis easier to keep holidays than commandments.

(Tradução) Quantos observam o aniversário de Cristo! Quão poucos, Seus preceitos! Ó, é mais fácil guardar os feriados que Seus mandamentos.


domingo, dezembro 20, 2009

Entenda Mais Acerca da Pirataria

Abaixo um artigo que eu havia guardado do site UOL.
Por Paulo Rebêlo | Para o UOL Tecnologia
Fonte: http://tecnologia.uol.com.br/ultnot/2007/11/05/ult4213u176.jhtm
Data de acesso: 05/11/2007

Tire suas dúvidas e entenda que ações podem ser pirataria

Você liga a televisão e vê a polícia colocando os camelôs para correr. Abre o jornal e lê sobre as "novas" medidas do governo e da indústria para conter a pirataria na internet e nas ruas. Escuta, no rádio, um executivo garantindo que, ao comprar produto pirata, você alimenta o tráfico de drogas.

De uma hora para outra, sem saber direito onde foi a curva, trocar arquivos pela Internet ou até mesmo emprestar um CD para um amigo se transformou em um câncer que só faz mal, uma atitude cruel por colocar dinheiro na mão de traficantes. Aquele artista tão famoso e supostamente vanguardista, mas que cobra uma pequena fortuna para um show de cinquenta minutos, explica que o valor é alto por causa da pirataria, apesar de seus CDs continuarem vendendo feito cerveja na praia em domingo de sol.

Afinal, quais as ações que se enquadram como pirataria? Ao entrevistar advogados, juristas, executivos, diretores de empresas, entusiastas de tecnologia e pessoas comuns, o resultado é tão subjetivo juridicamente quanto obscuro na prática. Pequenas atitudes como fazer cópia de um CD que você comprou na loja, podem, em certos casos, ser enquadradas como pirataria aos olhos da lei. E aos olhos da indústria, seria você um criminoso que, além de piratear, ainda por cima alimenta o tráfico de drogas?

Ao mesmo tempo em que cresce o discurso antipirataria e a campanha de conscientização, parece crescer a demanda por produtos piratas. Na avaliação da Federação de Comércio do Estado do Rio, apesar de o percentual de brasileiros que compram produtos piratas ter se estabilizado entre 2006 e 2007, houve um aumento generalizado no consumo desses artigos.

Às vésperas do Dia das Crianças (12 de outubro), quase todos os jornais mostravam milhares de pessoas fazendo compras nas lojas da Rua 25 de março, na região central de São Paulo, famosa por produtos baratos e acessíveis —e também, às vezes, de procedência duvidosa. Estimativa da Univinco (União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências) registrou a passagem de 400 mil clientes pela rua em apenas um dia (o dia 12), com apenas 30% das lojas abertas. Uma semana antes, no sábado, registraram 800 mil consumidores na rua.

Onde será que vamos comprar nossos presentes de Natal?



Emprestar ou copiar CD é pirataria?

Apesar do crescimento do download ilegal de filmes pela Internet e das vendas de DVDs piratas nas ruas do centro, ainda é pela música que o som da pirataria mais reverbera entre as pessoas comuns.

Primeiro porque o download de filmes exige uma conexão banda larga, regalia de poucos brasileiros. Segundo, porque mesmo com a queda dos preços e consequente popularização dos aparelhos de DVD vendidos em dez vezes sem juros, sua única opção é a sala de casa; enquanto que a música você escuta em qualquer lugar, em movimento, no trânsito, na academia...

É interessante notar que a lei brasileira de direitos autorais foi alterada pelo governo em 1998. Até aquela época, havia uma flexibilidade maior no que se podia ou não fazer aos olhos da lei. De 1998 em diante, novas regras e restrições surgiram, em grande parte seguindo diretrizes da lei norte-americana de direitos autorais.

De acordo com o advogado Túlio Vianna, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Eletrônico, o simples ato de emprestar um CD ao amigo não se enquadra como crime. O que o seu amigo irá fazer com isso, porém, pode ou não ser enquadrado como infração. Vianna realça, porém, que "o Direito não é algo objetivo, e sua interpretação pode variar de acordo com os tribunais em que for aplicada a lei", daí haver tantas dúvidas recorrentes em decisões relativamente similares da Justiça brasileira.

A lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, não classifica como infração a "cópia de obra intelectual ou fonograma, em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto". Em outras palavras, pela lei, o CD que você comprou na loja pode ser copiado uma única vez para uso pessoal, sem fins lucrativos. Agora, o que define "fins lucrativos" ou não é toda uma novela jurídica.

Pela mesma lógica, o mesmo vale para "ripar" o CD (converter para um formato digital como o MP3, via software, no computador) e escutar as músicas no carro ou no escritório.

O quadro muda, porém, quando sua compra é feita em lojas de música online. Segundo Túlio Vianna, é preciso ler com atenção o contrato de adesão ao fazer a compra. Cada loja pode estabelecer suas próprias diretrizes. Algumas permitem apenas uma cópia, outras protegem o arquivo para transferência uma única vez ao toca-MP3 e assim por diante.

Então emprestar um CD não é crime? A situação não é tão simples quanto parece. Para o advogado José Antônio Milagre, presidente da Comissão de Propriedade Intelectual e Segurança da Informação da OAB-SP, "quando se compra um CD, o que está se comprando é apenas o suporte físico material, a mídia, ao passo que o conteúdo intelectual não é, em nenhum momento vendido. Trata-se de um licenciamento exclusivo e permanente de uso", explica.

No caso, Milagre acredita que quando se executa um CD na presença de várias pessoas não se pode falar em pirataria, contudo, o ato de emprestar pode constituir violação autoral porque a nota fiscal individualiza o comprador, no jargão jurídico, "o licenciado". O advogado esclarece que, apesar da aparente rigidez, praticamente não existe apuração em relação a atos desse tipo (de emprestar CDs).

Sobre a questão dos preços de CDs, que parecem estar sempre no centro da discussão, durante quase um mês procuramos a Associação Brasileira dos Produtores de Disco, que não se pronunciou formalmente. A reclamação generalizada de usuários e consumidores é que a indústria fonográfica fala, fala muito, mas o preço do CD nunca cai; enquanto o lucro das gravadoras aumenta, mesmo com os "bilhões de dólares" anunciados de prejuízo decorrente da pirataria.

Segundo dados da Riaa (associação das gravadoras norte-americanas), a receita com a venda de músicas em plataforma física ou digital ficou em US$ 11,5 bilhões em 2006. Apesar de uma queda de 12,8% nas vendas de mídia em plataformas físicas de 2005 para 2006, a distribuição online de músicas cresceu 63,2%.



Existia pirataria na época do vinil e do cassete?

Quando não existia MP3 e internet, será que também era crime todo aquele troca-troca de fitas cassete e discos de vinil? Para José Antônio Milagre, presidente da Comissão de Propriedade Intelectual e Segurança da Informação da OAB-SP, a violação existia, mas não se tinha eficácia prática.

Milagre explica que, no tempo do vinil, não existia pirataria como se entende hoje porque não se podia separar o material do imaterial. "Disco e músicas compunham um todo que era o vinil. E assim como um livro, utilizávamos da 'first sale doctrine', uma teoria que limitava o direito do autor à primeira venda. Ou seja, quando eu ia até a loja autorizada e comprava um livro ou vinil, o direito patrimonial do autor se limitava a esta venda. O que eu fizesse com o livro depois, doasse, vendesse, emprestasse... isso era problema meu.", lembra.

Sem a premissa acima, não poderia haver os famosos sebos, onde se compra livros e discos antigos a preços inferiores. O problema começou a surgir quando a evolução tecnológica permitiu separar mídia e conteúdo, além de oferecer inúmeros métodos fáceis e acessíveis para replicar e copiar aquele mesmo conteúdo em diversas outras mídias, como nos casos dos DVDs e softwares. Logo, a doutrina da "primeira venda" tornou-se obsoleta, já que pela lei o direito do autor da obra recai sobre o conteúdo, esteja ele onde estiver, independentemente da mídia que o suporta: seja em um CD ou no pendrive com vários MP3s.

Não é à toa que, atualmente, o grande foco das atenções da indústria no combate à pirataria é a massificação do conteúdo pirata: seja na Internet, em programas P2P para compartilhar arquivos; ou em grandes centros de produtos piratas. Mundo afora, diversos sites que coletam links para download de conteúdo pirata já foram fechados ou, pelo menos, notificados judicialmente. Aos poucos, segundo especialistas ouvidos pela reportagem, a repressão ocorrerá em cima dos usuários comuns que compartilhem grandes volumes de arquivos.

Casos assim já ocorrem nos Estados Unidos, onde a Riaa (associação das gravadoras norte-americanas) processou e continua a mover ações judiciais contra pessoas comuns, identificadas em programas P2P compartilhando músicas protegidas por direitos autorais.


Por que software é tão caro no Brasil?

Quando falamos em software piratas, basta soltar o desafio: quem usa Windows original que levante a mão. Não obstante a crescente adesão de empresas e usuários ao software livre, com sistemas como o Linux ou pacotes de escritório como o OpenOffice, analistas da indústria são enfáticos ao dizer que o Linux ainda está distante do usuário menos experiente. Não necessariamente pela instalação, mas pela falta de hábito, opções comerciais e jogos de última geração para a plataforma, entre outros fatores.

Uma coisa, porém, parece certa: a pirataria de software tem diminuído no Brasil. A quarta edição do "Estudo Anual Mundial de Pirataria de Software" revelou que 60% do software instalado no país, em 2006, foi obtido ilegalmente. Ainda é muito, mas representa quatro pontos percentuais a menos em relação a 2005. O levantamento foi divulgado pela BSA (Business Software Alliance), associação internacional que representa a indústria de software comercial e tem um braço aqui no Brasil.

Pela pesquisa, o Brasil foi o mercado que registrou a maior queda na taxa de pirataria do mundo. Só que, ao mesmo tempo, é quem tem os maiores prejuízos com pirataria na América Latina, estimados em US$ 1,148 bilhão. A taxa de pirataria de software ficou abaixo da média latino-americana, que foi de 66%. O índice da América Latina foi significativamente superior à média mundial, de 35%, que se manteve no mesmo nível nos últimos três anos.

Mas mesmo com tantas conquistas, há uma pergunta que não quer calar: por que software é tão caro no Brasil? Basta uma rápida pesquisa na Internet para levar um susto. Enquanto um Windows XP Professional custa entre R$ 600 e R$ 700, o Windows Vista Ultimate não sai por menos de R$ 800. O Office 2007 Professional você leva por módicos R$ 1.300 (ou R$ 1.000 na versão Standard). Com um detalhe: ao comprar o software, você não pode copiá-lo para instalar em outras máquinas, mesmo que elas estejam na sua casa e sejam de sua propriedade. A licença é de uso único.

A questão maior é o que o preço praticado no Brasil é o mesmo praticado lá fora, apenas convertido para reais, ignorando realidades sociais, econômicas e culturais. Questionado pela falta de lógica nesta política comercial, o representante da BSA no Brasil, Frank Caramuru, esclarece que o software é o mesmo, tanto nos Estados Unidos, como em qualquer outra parte do mundo, e que não faria sentido vendê-lo por preço diferente aqui "por ser outra realidade".

Caramuru também bate em um fator reincidente: a carga tributária brasileira. Ele realça, porém, que algumas empresas colocam no mercado alternativas mais acessíveis. "A Microsoft, por exemplo, já tomou a iniciativa de preparar versões diferentes do mesmo produto, buscando atender as necessidades de qualquer consumidor. Há versões mais básicas, desde aquela que praticamente só liga o computador e possibilita que o usuário acesse a Internet, até a que deve ser usada por um estudante ou em casa, em pequenos negócios e em empresas grandes", explica.

E você, acha que vale a pena comprar um produto original ou fazer o download de uma versão de software livre, similar? Ou, quem sabe, baixar a edição pirata na Internet, que fica à distância de um simples clique? Para responder a estas e outras questões, vamos tentar entender o que pensa o brasileiro e o que pode ser feito para mudar a atual Lei de Gérson que impera por aqui.



Pirataria de software financia o tráfico de drogas? 

Você compra um DVD pirata do Shrek para presentear o filho e alguém lhe diz que, ao pagar os R$ 10 pelo disco —em vez dos R$ 50 cobrados pelo original— você financia o tráfico de drogas. Será?

Rodrigo Thompson, diretor do Sindireceita (Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal), diz que sim. De Brasília, onde acompanha com afinco as movimentações do governo sobre o assunto, ele lista diversos pontos que poderiam ser tomados em conjunto —na esfera pública e privada— para conter não apenas o avanço da pirataria, mas, sobretudo, os malefícios causados por ela.

Entre as medidas defendidas por Thompson, há um polêmico ponto: encarecer o produto pirata, de modo a diminuir a diferença de preço com o original. Evidentemente, o inverso também se defende: diminuir os impostos sobre os produtos originais, para barateá-los.

"A questão do caro e barato é complicada, mas há de convir, o produto original nunca será o preço do pirata. O pirata não registra empregado, está fora do controle de fiscalização, é um setor que atua completamente na ilegalidade, evita uma série de custos que o produto original tem", explica Thompson, que acredita no empenho do governo em reduzir a carga tributária e no empenho da iniciativa privada em lançar produtos originais em linhas populares, mais acessíveis.

A conscientização da população é outra questão reincidente. "A pirataria é uma atividade sedutora, muita gente pensa que vai comprar um produto pirata porque é mais barato e que vai se dar bem, achando que a pirataria só afeta as grandes empresas; essa visão faz com que continuem comprando e alimentando atividades ilegais, então temos que mudar um pouco a visão das pessoas", sentencia.

Por outro lado, Túlio Vianna, do Instituto Brasileiro de Direito Eletrônico, não acredita muito na relação entre pirataria e tráfico de drogas. "O tráfico é um negócio infinitamente mais lucrativo que a pirataria. Chega ser ridículo alguém acreditar que um traficante de drogas precise de algum financiamento dos piratas para poder manter seu negócio. São ramos de atividades distintos e independentes e querer relacionar o tráfico de drogas à pirataria só demonstra uma tentativa mal-intencionada de acirrar o tratamento maniqueísta da questão de que o pirata é um mal a ser combatido", opina. Vianna lembra, porém, que pirataria e produtos falsificados são duas coisas bem diferentes e que, muitas vezes, não se trata de questão técnica ou jurídica, mas puramente política.



Política, impostos e pirataria 

A exemplo do que prega o Sindicato Nacional dos Técnicos da Receita Federal, em relação à carga tributária (impostos) que encarecem os produtos originais além da conta, a criação de novos tributos também é sondada por especialistas.

José Antônio Milagre, da Comissão de Propriedade Intelectual da OAB-SP, acredita que a questão da violação à propriedade intelectual no Brasil não tem lá sua relevância no governo, diferentemente dos Estados Unidos e Europa.
Lá, violação de software é crime contra patentes, ou seja, conta com um maior rigor legal. No Brasil, o software é tutelado pelo direito autoral, e não pelo direito industrial, o que, na prática, fragiliza os meios fiscalizatórios.

"O governo pode adotar medidas, como tributar seletivamente as mídias virgens, assim como cigarro, que é tributado em aproximadamente 300%, fazendo com que o produto pirata se torne pouca coisa ou até mesmo mais caro que o original", defende.

Um belo exemplo sobre a mão do governo quando o assunto é contrabando e pirataria é a região da Tríplice Fronteira, no sul do país, que abrange Brasil, Paraguai e Argentina. É de lá que sai boa parte do "abastecimento" do comércio pirata em produtos de informática, por exemplo. Além de diversos outros.

O empresário Fouad Mohamad Fakih, há quase 40 anos morando e trabalhando com comércio na região de Foz do Iguaçu, não poupa críticas ao que ele considera uma hipocrisia do governo com a região. "Tem época que eles abrem mais a fiscalização porque é interessante politicamente para o governo, em tratados diplomáticos; quando não é, apertam a fiscalização e sai matéria nos jornais", reclama.

Foaud defende o combate ao contrabando, mas explica que a entrada de produtos pela fronteira do Paraguai representa apenas 5% do que entra de pirataria e contrabando o Brasil. "Os outros 95% chegam por aeroportos e portos, então eu pergunto: a gente deve admitir a sonegação tributária (os produtos piratas) ou admitir veladamente a entrada de toneladas de drogas e armas, como ocorre hoje?", questionando, ainda, quem quer pagar 60% de imposto ao governo que, em contrapartida, não garante nem o que está escrito na Constituição (saúde, segurança, saneamento básico etc.)?



Na Suécia, Partido Pirata quer politizar discussão.
 
Com tanto debate sobre novas leis que entendam os novos tempos de Internet banda larga, é da Suécia que vem uma iniciativa, no mínimo, curiosa: um partido político formal, chamado Partido Pirata. Considerando que a defesa e o ataque à pirataria seriam posições meramente ideológicas, o objetivo do Partido Pirata é politizar a discussão do direito autoral e evitar o reducionismo tão comum que trata a pirataria como um mal.

De acordo com advogado José Antônio Milagre, a situação brasileira é complicada, porque a lei não fala o que é violação. Pelo contrário, estipula apenas o que não é. Ou seja, tudo que não estiver contido na lista, poderia ser considerado uma violação.

A lista está disposta no art. 46 da Lei de Direitos Autorais e no Art. 6º da Lei do Software (9609-1998). Como já vimos, para CDs de música, a lei permite a cópia de um único exemplar para uso privado; em software, há possibilidade de uma única cópia backup do sistema, também para uso privado, sem empréstimos ou instalações em outras máquinas.

Na Suécia e, aos poucos, em outros países da Europa, a presença do Partido Pirata tem sido sentida. De acordo com Rick Falkvinge, principal "político" e porta-voz do partido, em 2006 eles tiveram 63% das votações para o Parlamento, mas não foram eleitos —com 4% a mais, teriam uma cadeira. A própria candidatura de Falkvinge, por exemplo, ficou em 15º posição, entre 5.700 candidatos totais no país para o Parlamento.

"Dizemos que quem está no poder tenta defender o ontem, enquanto nós estamos discutindo os acontecimentos e mudanças da sociedade de hoje. Nos trataram como piada quando criamos o partido, mas quando os resultados da eleição de 2006 foi aberto, muita coisa mudou", alegra-se Falkvinge, do Partido Pirata.

Atualmente, já há ramificações do Partido Pirata em vários países da Europa, como Espanha, França, Alemanha, além de Austrália, Estados Unidos e até mesmo países da América Latina, como a Argentina, Chile, Peru e Brasil. Neste caso, com menos popularidade. A lista dos tentáculos do Partido Pirata pelo mundo está na Wikipedia, e o site oficial do partido tem um fórum para simpatizantes barsileiros.



Livre circulação de informação ou pirataria? 

A principal bandeira dos sites de compartilhamento de arquivos e de vários usuários, sejam eles leigos ou piratas semi-profissionais, é a idéia da difusão do conhecimento. Rick Falkvinge, do Partido Pirata na Suécia, garante que o partido oficialmente defende a operação dos sites de torrent.

"O governo não deveria interferir; mas, se é para interferir, que não seja para processar criminalmente. Essas pessoas deveriam receber uma bolsa cultural por uma série de boas ações em popularizar culturas diferentes e conhecimento", acredita o porta-voz do partido.

O advogado Túlio Vianna vai mais além: "os conservadores insistem no modelo da venda de algo que pode ser copiado livremente e a população já percebeu que este é um modelo falido. Insistem na analogia com o furto, mas esquecem-se de que no furto há uma subtração, isto é, a vítima perde uma parte do seu patrimônio. Copiar não é subtrair, pois com a cópia a vítima não perde parte do seu patrimônio, mas apenas deixa de lucrar. Se Jesus Cristo vivesse nos dias de hoje, teria sérios problemas com a turma dos direitos autorais por multiplicar pão e peixe... certamente seria acusado pelas associações de defesa das panificadoras e das peixarias por violarem seus direitos e lhe causarem enormes prejuízos, pois deixaram de vender pão e peixe", ironiza.

Movimentos e associações mundiais, como é o caso da famosa licença Creative Commons, replicam pensamentos semelhantes. O designer Ícaro Matias, 22, faz parte exatamente desse público-alvo. "Não acredito que sou um criminoso por baixar qualquer coisa pirata, mas alguém que se esforça pra manter um nível cultural descente já que o meu país não se importa em facilitar o acesso a isto. Aqui no Brasil, cultura não é pra todo mundo, você não pode comprar CDs; ou são caros ou muitas vezes não chega por aqui. E dependendo da região do país, a situação é ainda pior. Livros, que deveriam ser mais barato, são um dos meios de comunicação mais caros do país", reforçando a tese de não haver lógica com o conceito de "vender" e "subtrair", citado por Vianna.

"Não concordo em ganhar dinheiro em cima de pirataria, até acho legal quem divide (sharing) com os amigos, mas só para fins de diversão. Não concordo em vender produtos piratas protegidos por copyright, mas são questões bem diferentes, estamos falando de acesso à cultura, informação, em um país que não trabalha para isso", opina Matias.

Para o empresário do ramo de informática Christiano Milfont, quem deveria ser enquadrado como criminoso são os atravessadores, desde locadoras que vendem filmes e mídias ilegais, aos estúdios e até os camelôs. "Mas isso geraria uma discussão social que envolveria mão de obra, emprego, sindicatos e o toda a indústria; e eles não querem isso, querem permanecer na hipocrisia e nesse maniqueísmo até quando der", classifica.

"Este modelo comercial está falido, o modelo de compartilhamento está destruindo os grilhões que os atravessadores criaram ao longo dos séculos, agora o artista pode se apresentar diretamente ao seu público. Os novos modelos ainda são experimentais mas são a ótica de como deverá se comportar o artista no futuro", profetiza Milfont. Ele cita o exemplo da hora, Tropa de Elite, cujo vazamento na internet causou um burburinho tão grande que economizou milhares de reais em propaganda. E o resultado? Cinemas lotados e talvez o filme nacional mais visto em todos os tempos. "Quanto de dinheiro pode ser fabricado nessa cultura de compartilhamento? Não temos idéia do montante porque a indústria teme a discussão aberta", alfineta.



Brasileiro já foi preso por vender MP3.

No Brasil, até hoje existe um único caso concreto de apreensão por causa de MP3. Foi a prisão do paranaense Alvir Reichert Júnior em 25 de agosto de 2003, em Curitiba, sob acusação de vender MP3 pela Internet. Após investigação da (hoje extinta) Associação Protetora dos Direitos Intelectuais Fonográficos (APDIF), Reichert foi preso em casa, em uma segunda-feira pela manhã, acusado de vender músicas pirateadas por um famoso site chamado MP3 Forever.

Reichert foi a primeira pessoa a ser presa a partir da mudança da lei nº 10.695, sancionada em 2 de julho de 2003 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A mudança altera os artigos 184 e 186 do Código Penal e acrescenta parágrafos ao artigo 525 do Código de Processo Penal.

A nova lei, que entrou em vigor 30 dias após a assinatura do presidente, é resultado de um projeto de lei datado de dezembro de 1996, de autoria do próprio Poder Executivo, para coibir os delitos contra direito autoral e propriedade intelectual. Prevê prisão de até quatro anos por crimes de pirataria.

Prevê ainda que a cópia de obra intelectual ou fonograma, "em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto", não configura crime. Você pode fazer MP3 de seus próprios CDs, mas não pode sair pegando MP3 de CDs que você não comprou, visto que isto configuraria um "lucro indireto e, conseqüentemente, um crime", nas palavras do então diretor jurídico da APDIF, Jorge Eduardo Grahl, na época da prisão de Reichert.
----------------------------------------------------------

Um comentário muito válido:

O artigo é tendencioso e traz pelo menos uma inverdade:

O artigo diz que:
A lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, não classifica como infração a "cópia de obra intelectual ou fonograma, em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto". Em outras palavras, pela lei, o CD que você comprou na loja pode ser copiado uma única vez para uso pessoal, sem fins lucrativos. Agora, o que define "fins lucrativos" ou não é toda uma novela jurídica.

Na verdade a lei diz que é infração:
VI - reprodução - a cópia de um ou vários exemplares de uma obra literária, artística ou científica ou de um fonograma, de qualquer forma tangível, incluindo qualquer armazenamento permanente ou temporário por meios eletrônicos ou qualquer outro meio de fixação que venha a ser desenvolvido;

E que não é infração:
II - a reprodução, em um só exemplar de pequenos trechos, para uso privado do copista, desde que feita por este, sem intuito de lucro;

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Qual o Significado de sua Árvore de Natal?

Por T. Zambelli

Há alguns anos escrevi para um de meus mestres questionando o porquê do cristão ter ávores de Natal. Ao invés de receber uma resposta que desprezaria toda a tradição da árvore, ele me disse para pensar no texto de Is 11. De fato eu refleti sobre o assunto.

Abaixo um vídeo que gravei sobre isso há poucos dias.



Obs.: No vídeo eu digo sobre Calvino. Na verdade, minha pesquisa dizia que a origem da árvore tinha relação com Lutero.

Uma das possíveis história sobre a origem da árvore de Natal:
Entre as várias versões sobre a procedência da árvore de Natal, a maioria delas indicando a Alemanha como país de origem, a mais aceita atribui a novidade ao padre Martinho Lutero (1483-1546), autor da Reforma Protestante do século XVI. Olhando para o céu através de uns pinheiros que cercavam a trilha, viu-o intensamente estrelado parecendo-lhe um colar de diamantes encimando a copa das árvores. Tomado pela beleza daquilo, decidiu arrancar um galho para levar para casa. Lá chegando, entusiasmado, colocou o pequeno pinheiro num vaso com terra e, chamando a esposa e os filhos, decorou-o com pequenas velas acesas afincadas nas pontas dos ramos. Arrumou em seguida papéis coloridos para enfeitá-lo mais um tanto. Era o que ele vira lá fora. Afastando-se, todos ficaram pasmos ao verem aquela árvore iluminada a quem parecia terem dado vida. Nascia assim a árvore de Natal. Queria, assim, mostrar as crianças como deveria ser o céu na noite do nascimento de Cristo.

Fonte

segunda-feira, novembro 30, 2009

Deus de Promessas (Toque no Altar) - És Deus de Perto e TAMBÉM Deus de Longe

A canção "Deus de Promessas," por Toque no Altar, é sem dúvida uma das canções mais tocadas no meio evangélico. Gosto de sua melodia e grande parte de sua letra. Abaixo, uma breve análise.

Sei que os Teus olhos
Sempre atentos permanecem em mim
Os olhos de Deus estão sobre os caminhos do homem e veem todos os seus passos (Jó 34.21 ARA). De fato, não há nada que fuja do conhecimento de Deus (cf. Hb 4.13).

E os Teus ouvidos
Estão sensíveis para ouvir meu clamor
O salmista diz que Deus atentou para o sofrimento deles quando ouviu o seu clamor (Sl 106.44 NVI). Veja também Sl 5.3; 9.12; 17.1; 61.1; 88.2.


Posso até chorar...
Mas a alegria vem de manhã
Como vários trechos da canção, parece-me que o autor retirou seus versos de passagens bíblicas. Isso muito me agrada. E a você? O salmo 30, davídico, diz: Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã.

És Deus de perto e não de longe
Eis que surge o momento da canção que eu não gosto. Por que o autor da canção não poderia continuar com a lógica de utilizar as passagens bíblicas como elas de fato são? Você acredita que o Deus cristão, o único verdadeiro, dito onipresente e soberano, não seja um Deus de longe? Sim, eu sei que o autor poderia esta se referindo a pessoalidade de Deus. Pode ser... Mas especulo  (posso estar enganado) que não foi o caso. Veja o que o profeta Jeremias escreveu em Jr 23.23: Acaso, sou Deus apenas de perto, diz o SENHOR, e não também de longe? (ARA). Em outra versão: "Sou eu apenas um Deus de perto", pergunta o SENHOR, "e não também um Deus de longe?" (NVI). De qualquer forma, por que a canção não poderia ficar assim? "És Deus de perto, também de longe." Cante com a melodia e verá que cabe perfeitamente!


Nunca mudastes, Tu és fiel
Deus é imutável (Ml 3.6; Hb 13.8) e fiel (Ex 34.6; Nm 14.18Dt 7.9; 32.4; Ne 1.5; 9.32; Sl 33.4; 59.10; 144.2; Is 49.7; 1Co 1.9; 10.13; 1Ts 5.24; 2Ts 3.3; 2Tm 2.13; Hb 3.6; 10.23; 1Jo 1.9 - lista não exaustiva).

Deus de aliança, Deus de promessas
Há muito para ser dito sobre aliança e promessas. Espero que o leitor entenda somente uma coisa: as alianças que Deus fez com Israel são para Israel. As promessas que Deus fez para Israel são para Israel. NÓS NÃO SOMOS ISRAEL, SOMOS A IGREJA!

Deus que não é homem pra mentir
Nm 23.19a diz: Deus não é homem para que minta (NVI).

Tudo pode passar, tudo pode mudar
Mas Tua palavra vai se cumprir
Sem dúvida tudo se cumprirá no devido tempo: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra (Mt 5.17 NVI).

Posso enfrentar o que for
Eu sei quem luta por mim
Espero que ninguém enfrente um leão simplesmente porque Sansão assim o fez. Espero que o adorador entenda que Deus está na frente das legítimas batalhas.

Seus planos não podem ser frustados
Corretíssimo!!! Deus não pode ter Seus planos frustrados. Ele é soberano e tudo sabe (Lc 21.18). Aleluia!

Minha esperança está
Nas mãos do grande Eu sou
Que a esperança de todo cristão, de todo ser que respira, possa estar nas mãos de Yahweh.

Meus olhos vão ver o impossível
Acontecer... 
Eu também não sei o que o autor da canção quis dizer com isso. De qualquer forma me lembrei de Êx 34, quando Moisés sobe ao monte Sinai com tábuas semelhantes à primeira (que ele havia quebrado por estar indignado com o povo - Êx 32). Deus, naquele momento da história, ao fazer um pacto com Moisés e Israel, diz que eles veriam coisa maravilhosas, surpreendentes. Eu já vi muitas coisas incríveis acontecerem. Uma das maiores foi a minha salvação!

Espero que estes comentários possam fazer o adorador refletir mais sobre as palavras desta gostosa canção.

Veja o artigo que já havia escrito sobre esta canção.

sábado, novembro 28, 2009

Sobre o Filme Cazuza

Recebi o texto abaixo por e-mail. Achei muito bom e decidi compartilhar. No e-mail foi dito que a autora é psicóloga e se chama Karla Christine. Ela comenta sobre o filme "Cazuza."

"Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora. As pessoas estão cultivando ídolos errados... Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza?

Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível.Marginal sim! Pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.
No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos. A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta. São esses pais que devemos ter como exemplo?

Cazuza só começou a gravar porque o pai era diretor de uma grande gravadora... Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante. Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.

Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou.

Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria? Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.
Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário?

Lembrem-se: dizer NÃO é a prova de amor mais difícil.


Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar. Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos tão cedo.Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi a pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre."




quarta-feira, novembro 25, 2009

O Cristão Deve Obedecer à Lei? (Lei X Graça)

Baseado no capítulo "The Relationship of the Christian to the Law and Grace", do livro There Really is a Difference, de Renald E. Showers.

A Questão

Deve o homem obedecer às leis mosaicas? Alguns cristão declaram que os salvos devem obediência aos aspectos morais da Lei, mas não precisam se preocupar em obedecer os aspectos civis e cerimoniais. É necessário entender que o aspecto moral da Lei apresenta o caráter de Deus, que é eterno, imutável. Se uma pessoa não estiver debaixo da vontade moral de Deus, ele não está de acordo com Seu caráter.

Por outro lado, alguns cristão dizem que os salvos não estão sujeitos a nenhum aspecto da Lei mosaica, mesmo seu aspecto moral. Para melhor compreensão da visão deste grupo, é necessário saber que apesar da Lei mosaica ter, de fato, três facetas [civil, cerimonial e moral], ela funcionava como uma unidade indivisível. Dessa forma, se submeter a um aspecto da Lei, obrigava o crente no poder de Deus a estar debaixo de toda ela. Em outras palavras, sujeitar-se ao aspecto moral, colocava o homem sujeito aos aspectos cerimoniais e civil também.

Como dito, a vontade moral presente na Lei demonstra o caráter de Deus, que é imutável. Todavia, o que foi apresentado na Lei através de Moisés, foi uma forma de Deus administrar sua vontade absoluta a um grupo específico, a nação de Israel. Até Cristo, a Lei mosaica trazia orientação às pessoas sujeitas a aliança. Para estar submisso à vontade (absoluta) de Deus, não é necessário obedecer às leis dadas por Moisés.

A moralidade de Deus é a mesma desde sempre, antes de existir qualquer coisa. A Lei conforme a conhecemos na Bíblia não fazia parte da vida de vários homens, pois a vontade de Deus não havia sido registrada em letras. Ainda assim, Abel foi reconhecido como justo (Hb 11.4); Enoque tinha agradado a Deus (v.5); Noé tornou-se herdeiro da justiça (v.7); Abraão obedeceu quando chamado (v.11). Deve ser claramente notado que homens viveram a vontade de Deus mesmo antes da Lei, apesar de uma forma  administrativamente diferente. Perceba que é possível para uma pessoa viver livre do aspecto moral da Lei mosaica sem estar fora da vontade de Deus (da Lei).

Assim, também, Deus decidiu administrar Sua moral absoluta e eterna de forma diferente depois da cruz. Uma forma superior, chamada graça! Atente-se: "liberdade do aspecto moral da Lei mosaica não envolve liberdade da moral absoluta de Deus, envolve liberdade de uma forma de Deus administrar Sua moral" (-- R. Showers).


A Indivisibilidade da Lei Mosaica

Veja as passagens e os breves comentários abaixo:
  • Gálatas 3:10 - Já os que se apóiam na prática da Lei estão debaixo de maldição, pois está escrito: "Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei." Querer manter parte da Lei obriga o homem a mantê-la totalmente.
  • Gálatas 5:3 - De novo declaro a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a cumprir toda a Lei. Circuncisão fazia parte do aspecto cerimonial da Lei. Escolher uma parte da Lei, obriga o homem a mantê-la toda.
  • Tiago2.10 - Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente. O autor não se refere somente a um aspecto da Lei. Qualquer ponto dela que fosse quebrado, tornava o homem culpado.

    Evidências de que os Cristãos Não Estão Sujeitos à Lei Mosaica

    • Romanos 7.4 - Assim, meus irmãos, vocês também morreram para a Lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerem a outro, àquele que ressuscitou dos mortos, a fim de que venhamos a dar fruto para Deus. O homem está livre da Lei.
    • Romanos 7.6 - Mas agora fomos libertos da lei, havendo morrido para aquilo em que estávamos retidos, para servirmos em novidade de espírito, e não na velhice da letra. "A palavra libertos significa: retirado da esfera de operação" (R. Showers). O cristão foi liberto da esfera de operação da Lei.
    • Gálatas 2.19 - Pois, por meio da Lei eu morri para a Lei, a fim de viver para Deus. O cristão deve viver separado da Lei mosaica.
    •  Gálatas 3.19 - Qual era então o propósito da Lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o Descendente a quem se referia a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador. A Lei foi criada para um certo tempo e propósito. A continuação da passagem demonstra o ensino de Paulo de que a Lei tinha um objetivo pedagógico (vv.20-25).
    • Gálatas 5.18 - Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo da Lei. Os que são controlados pelo Espírito Santo não estão debaixo da Lei. Em Rm 8.14, Paulo diz que os filhos de Deus são guiados pelo Espírito de Deus.
    • Gálatas 5.22 - Mas o fruto do Espírito é... Uma lista de obras produzidas pelo Espírito Santo, que não são provenientes da obediência à Lei mosaica.
    • Efésios 2.13-16 - Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo. Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade, anulando em seu corpo a Lei dos mandamentos expressa em ordenanças. O objetivo dele era criar em si mesmo, dos dois, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliar com Deus os dois em um corpo, por meio da cruz, pela qual ele destruiu a inimizade. Anulando (v.15) no texto significa, tornar indolente, desempregado, inativo (Strong's). Depois da morte de Jesus, Deus inaugurou uma nova forma de administrar Sua imutável vontade.
    • Hebreus 7.12 - Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei. Segundo F.F. Bruce, a palavra mudança significa anulação. Quando Jesus anulou o sacerdócio de Arão pelo de Melquisedeque, a Lei mosaica, que fundamentava o sacerdócio de Arão foi anulado.
    Breves e Certas Conclusões
    1. A Lei mosaica é uma unidade indivisível, apesar de possui aspectos diferentes.
    2. O cristão não está sujeito à Lei mosaica.

    quarta-feira, novembro 18, 2009

    Avery D. Miller - Submissão a Deus é...

    To be subjected to God's will is not only to give Him priority in our lives, it is but to give Him complete control.

    (Tradução) Estar submisso à vontade de Deus não é apenas dar a Ele prioridade em nossas vidas, mas entregar a Ele controle completo (de nossas vidas).

    -- Avery D. Miller

    terça-feira, novembro 17, 2009

    Vocês Não Sabem Quando Ele Virá! (Mateus 24:42)

    Pois nos dias anteriores ao Dilúvio, o povo vivia comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca; e eles nada perceberam, até que veio o Dilúvio e os levou a todos. Assim acontecerá na vinda do Filho do homem. Dois homens estarão no campo: um será levado e o outro deixado. Duas mulheres estarão trabalhando num moinho: uma será levada e a outra deixada. "Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor."
    Mateus 24.38-42 (NVI)

    quinta-feira, novembro 12, 2009

    John Piper: O Valor que é Dado a Deus

    John Piper é um dos escritores que eu mais gosto. Navegando no Youtube, encontrei um vídeo que pode lhe interessar. Veja abaixo e comente!




    sexta-feira, novembro 06, 2009

    Jesus e Satanás

    Infelizmente, muitos têm se enganado em falsas religiões porque o astuto Satanás os confunde...


    Lembre-se: o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz (2Co 11.14).

    quinta-feira, novembro 05, 2009

    Analogia do Basquetebol: Uma Final

    O esporte conquistou o mundo de uma forma originalmente inimaginável. Um olimpíada é vista por bilhões de pessoas. Uma copa do mundo para o Brasil é motivo de férias e festas coletivas. Uma final de futebol americano (NFL) nos EUA deixa todos "doentes." Uma final do brasileirão deixa os brasileiros agitados e fora de seus empregos.

    Quando jogadores de basquete enfrentam uma final não é diferente. Seus corações batem mais forte. Alguns sentem a pressão mais do que outros. Alguns precisam se concentrar mais, pois sabem que depois da final não haverá uma segunda chance. Dias antes de acontecer tal jogo, a ansiedade ou preocupação tomam conta de alguns jogadores.

    Infelizmente essa não é a mesma sensação que o cristão sente em relação ao certo retorno de Jesus Cristo. A Bíblia nos ensina que Ele voltará, primeiro para levar todos aqueles que creram em seu sacrifício e sete anos depois, para reinar sobre a terra soberanamente. A Palavra de Deus faz uma analogia com um ladrão:
    • Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor (Mt 24.43).
    • Entendam, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora viria o ladrão, não permitiria que a sua casa fosse arrombada. Estejam também vocês preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que não o esperam (Lc 12.39-40)
    Não vivemos nossa vida na expectativa da iminente volta de Jesus Cristo. Quando isso acontecer, alguns dirão: "eu sabia!" Mas perderão o bonde... "Porque não fui?" Viveram uma falsa fé... "E agora?" Então sofrerão as consequências da justiça de Deus na terra.

    Quando estamos ansiosos pela final de um torneio, pensamos no jogo várias vezes. O que posso fazer para dar o meu melhor? Deveríamos pensar no retorno de Cristo com o mesmo incentivo. Visto que Ele voltará, o que posso fazer de melhor? Como devo gastar meu tempo?

    Não perca sua chance de descobrir hoje qual a relação de Jesus Cristo e sua vida. Uma dica: disso depende sua vida eterna!

    quarta-feira, novembro 04, 2009

    Analogia do Óleo e o Sabão

    Você sabe de que forma Deus nos usa? O quanto Ele nos transforma? Eu conseguiria me transformar em algo através de minhas próprias forças? O vídeo abaixo nos ajuda a entender melhor o desejo de Deus para nós.


    domingo, novembro 01, 2009

    Stormie Omartian - Liberdade do Perdão

    Forgiveness doesn't make the other person right. It makes you free.

    (Tradução): Perdão não faz a outra pessoa correta. Ele te faz livre.

    quarta-feira, outubro 21, 2009

    The 7 Ups (English)

    Wake Up !!
    Decide to have a good day.
    Today is the day the Lord hath made; let us rejoice and be glad in it.
    Psalms 118:24

    Dress Up !!
    The best way to dress up is to put on a smile.
    A smile is an inexpensive way to improve your looks.
    The Lord does not look at the things man looks at.
    Man looks at outward appearance; but the Lord looks at the heart.
    I Samuel 16:7

    Shut Up!!
    Say nice things and learn to listen.
    God gave us two ears and one mouth, so He must have meant for us to do
    twice as much listening as
    talking.
    He who guards his lips guards his soul.
    Proverbs 13:3

    Stand Up!!...
    For what you believe in.
    Stand for something or you will fall for anything.
    Let us not be weary in doing good; for at the proper time, we will reap a harvest if we do not give up. Therefore, as we have opportunity, let us do good...
    Galatians 6:9-10

    Look Up !!...
    To the Lord.
    I can do everything through Christ who strengthens me.
    Philippians 4:13

    Reach Up !!...
    For something higher.
    Trust in the Lord with all your heart, and lean not unto your own understanding.
    In all your ways, acknowledge Him, and He will direct your path.
    Proverbs 3:5-6

    Lift Up !!...
    Your Prayers.
    Do not worry about anything; instead PRAY ABOUT EVERYTHING.
    Philippians 4:6

    terça-feira, outubro 20, 2009

    Mesada e a educação das crianças


    Os dois áudios abaixo não são estudos extraídos da Palavra de Deus. No entanto, eles possuem os princípios que Deus chama de sabedoria e são valiosos para nos atentarmos para educação de nossos filhos.

    Retirados da CBN

    "Mesada deve ser fonte de aprendizagem para crianças"

     
    "Mesada das crianças pode montar uma armadilha para a família"

    segunda-feira, outubro 19, 2009

    Expectativas de um Mundo Muçulmano

    Já havia sido alertado por um mestre sobre o crescimento mundial de uma religião monoteísta que brevemente dominará o mundo por procederem segundo um princípio bíblico que o cristão se esqueceu: multiplicai-vos! (Gn 1.28; 9.2)

    Assitam o vídeo abaixo:
    Recebi por e-mail

    sexta-feira, outubro 16, 2009

    Os Cinco Macacos

    Certa vez recebi por e-mail uma história que me remeteu a pensar sobre o fundamento daquilo que professamos como verdade. Às vezes seguimos tradições que não refletem o que a Palvra de Deus de fato nos revela. Muitas vezes procedemos dessa forma por desinformação. Leia o texto abaixo e reflita sobre isso.

    Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. No meio, uma escada e sobre ela um cacho de bananas. Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, um jato de água fria era acionado em cima dos que estavam no chão.

    Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e enchiam de pancada. Com mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

    Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não subia mais a escada.

    Um segundo macaco veterano foi substituído e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo na surra ao novato. Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto, e afinal o último dos veteranos, foi substituído. Os cientistas então ficaram com um grupo de cinco macacos que mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.

    Se possível fosse perguntar a algum deles porque eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui!"

    terça-feira, outubro 13, 2009

    O Devido Respeito aos Pais

    O vídeo abaixo fala muito sobre o respeito que os filhos devem aos pais.




    Filhos, obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor.
    (Colossenses 3.20 NVI)

    segunda-feira, outubro 12, 2009

    Analogia do Basquetebol: Os Árbitros

    Os árbitros são figuras importantes para um jogo oficial de basquete. São eles que fazem as regras funcionarem de acordo como foram estipuladas. Sem dúvida eles falham, como qualquer pessoa quando desempenha algum papel, seja de pai, engenheiro, padre, presidente, costureiro, etc.

    Os jogadores devem sempre ser submissos à autoridade que eles têm em quadra, tendo respeito quando dialogarem com eles. Aliás, nenhum papel de autoridade deve ser desrespeitado, mesmo quando eles não merecem tal direito. Sabemos que há vários árbitros que são muito ruins: alguns se acham os inventores do desporto; outros o dono da bola; muitos o cara mais importante do ginásio. Sabemos que isso não é diferente para qualquer cargo/papel de autoridade.

    A Bíblia nos ensina: Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas (Romanos 13.1). Todas as autoridades foram soberanamente posicionadas conforme a vontade de Deus. Ninguém tem a autoridade que tem sem a permissão divina, nem mesmo os árbitros de basquetebol.

    Um momento que me recordo com grande tristeza foi o desrespeito que a nação brasileira tratou o Presidente Lula no evento de abertura do Pan Americano (não me recordo o ano). Mesmo ele não merecendo glórias e honras segundo os brasileiros, ainda assim ninguém tinha o direito de tratá-lo de tal forma, com vaias e desrespeito.

    Ao entrar em uma quadra para jogar, lembre-se sempre disso. Você deve respeito ao árbitro, mesmo quando ele errar o apito, mesmo quando ele for soberbo e desleal.

    sábado, outubro 10, 2009

    David Wilkerson - Um Chamado para a Angústia

    Este breve vídeo, um discurso de um conhecido pastor americano, tocou muito em meu coração e de vários amigos meus. Espero que ele possa fazê-lo repensar sobre a forma que você cristão, tem vivido sua vida.

    sexta-feira, outubro 09, 2009

    História da Religião: Uma Animação

    Hoje recebi por e-mail uma animação muito legal denominada History of Religion (História da Religião), criado por Maps of War.

    Deem uma olhada!



    quarta-feira, outubro 07, 2009

    Max Lucado - O Cristão em Seus Arredores

    A Christian in his surroundings should encourage everyone to be better, instead of being the one who stoops to be like everyone else.

    (Tradução) Um cristão, em seus arredores, deveria encorajar todos a serem melhores ao invés de ser aquele que se rebaixa em ser como qualquer um.

    -- Max Lucado

    Frases como essa estão disponíveis em meu Twitter.
    Fonte: Heartlight

    terça-feira, outubro 06, 2009

    Declaração Pessoal de Fé: Anjos

    Creio que os anjos existem, pois a Bíblia retrata como verdade essa afirmação tanto no Antigo Testamento (Gn 18; 2Sm 24.16; Is 6.2; Dn 9.20-27; Zc 1; Sl 34.7, 91.11, 103.20) como no Novo Testamento (Mt 2.19; Mc 1.13; Lc. 2.13; Jo 2.12; At 1.10-11). Eles são seres criados (Sl 148.5) por Cristo (Cl 1.16; Jo 1.1-3) e não podem se reproduzir (Mt 22.30), todavia são imortais (Lc 20.36). Foram criados antes da Terra (Jó 38.6-7) em santidade (Jd 6), possuindo inteligência (1Pe 1.12), emoções (Lc 2.13) e vontade (Jd 6). Eles são inferiores a Cristo (Hb 1.3-4), mesmo sendo poderosos (2Pe 2.11). São organizados, sendo eles arcanjo (Jd 9; 1Ts 4.16; Dn 10.21, 12.1), querubins (Ez 28.14,16; Gn 3.24) e serafins (Is 6.2-7). Os anjos ministram louvando, adorando, servindo e se apresentando a Deus (Sl 148.1; Hb 1.6; Sl 103.20; Jó 1.6, 2.1), sendo eles também instrumentos do juízo dEle (Ap 7.1, 8.2). Eles também servem à igreja (Hb 1.14), levando respostas de orações (At 12.5-10), ajudando nos esforços evangelísticos (At 8.26, 10.3), encorajam nas horas de perigo (At 27.23-24) e estão presentes na hora da morte dos justos (Lc 16.22). Eles ministraram dessa forma e creio que ainda podem ministrar assim.

    sábado, outubro 03, 2009

    Declaração Pessoal de Fé: Salvação

    Creio que o homem, por causa do pecado (Gn 3), necessita ser redimido para que possa louvar a Deus como lhe é devido (Is 43.7). No Antigo Testamento, a salvação era o livramento de Deus para um propósito especial (Is 43.11,12, 49.6), tendo como condição necessária a fé (Gn 15.6) no verdadeiro Deus (Nm 14.11, 20.12; 2Rs 17.14; Sl 78.22; Jn 3.5). Igualmente, a fé é necessária no tempo do Novo Testamento e as obras não valem como pontos para a salvação (Ef 2.8,9). A iniciativa da salvação coube e cabe a Deus (Jo 3.16), tendo a morte de Jesus Cristo como única base para ela (Jo 14.6; At 4.12; Hb 5.9). Creio que o sacrifício de Jesus é suficiente para todo homem (2Tm 2.6), mas eficiente aos que creem (Rm 5.19). Creio que Deus sempre soube aqueles que decidiriam pelo relacionamento com Ele, tendo escolhido estes antes de criar o mundo (Ef 1.4; 1Pe 1.2). Creio que Jesus Cristo morreu em substituição pelo pecador (Lv 1.2-4; 16.20-22; 17.11; Is.53.6, 12; Mt.20.28; Mc.10.45; Jo.1.29; 11.50; Rm.5.6-8; 8.32; 2Co.5.14, 15, 21; Gl.2.20; 3.13; 1Tm.2.6; Hb.9.28; 1Pe.2.24), mediante alto preço (2Pe 2.1), efetuando plena libertação (Mt 20.28) e reconciliação (Rm.5.10; 11.15; 2Co.5.18-21; Ef.2.16; Cl.1.20-21). Creio que a salvação é eterna, pois se baseia na graça de Deus e é um dom eterno.

    quinta-feira, outubro 01, 2009

    Susanna Wesley - Exercício da Religião

    Help me, Lord, to remember that religion is not to be confined to the church... nor exercised only in prayer and meditation, but that every where I am in Thy Presence.

    (Tradução) Ajude-me, Senhor, a lembrar que religião não deve ser confinada à igreja... Nem exercida apenas em oração e meditação, mas em todo lugar que eu estiver em Tua presença.

    -- Susanna Wesley

    Soteriologia (Teologando)

    I. INTRODUÇÃO

    II. QUESTÕES ANTERIORES

    A. Quem é Deus?
    B. Quem é o homem?

    III. REDENÇÃO, UM PLANO HISTÓRICO
    A. Na queda, o anúncio
    B. Com Noé, uma Ilustração
    C. Com Abrão, um Fato
    D. Na Páscoa, a sombra
    E. Israel, o Resultado Imediato

    IV. OBRA SALVÍFICA DE CRISTO, O CENTRO
    A. Significados
    B. Consequências

    V. ELEIÇÃO, O FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
    A. Eleição Universal
    B. Eleição Prevista
    C. Eleição Incondicional

    quarta-feira, setembro 30, 2009

    Hamartiologia (Teologando)

    No site Teologando, você pode encontrar sobre Hamartiologia. Abaixo o sumário.

    I. INTRODUÇÃO

    II. CONDIÇÃO ORIGINAL DO HOMEM
    A. Semelhança Natural com Deus
    B. Semelhança Moral com Deus

    III. QUEDA
    A. Queda como Fato Histórico
    B. Queda como Fato Teológico

    IV. DEFINIÇÃO DO PECADO
    A. Conceito no Velho Testamento
    B. Conceito no Novo Testamento

    V. DEPRAVAÇÃO HUMANA
    A. Depravação Total
    B. Incapacidade Total
    C. Depravação, Incapacidade e a Liberdade Humana

    VI. CONSEQUÊNCIAS DA QUEDA
    A. Separação Espiritual: o homem e o Criador
    B. Separação Psico somática: o homem em si mesmo
    C. Separação Sociológica: o homem do homem
    D. Separação Antroecológica: o homem da natureza
    E. Separação Ecológica: a natureza da natureza
    F. Separação Final

    terça-feira, setembro 29, 2009

    Antropologia (Teologando)

    Um bom amigo e irmão na fé possui um BLOG que eu gosto muito, chama-se Teologando (Marcelo Berti). Abaixo o que ele escreveu sobre Antropologia, dentro de Teologia Sistemática. Clique nos títulos para ser redirecionado.

    I. INTRODUÇÃO

    II. ORIGEM DO HOMEM
    A. Evolução Ateísta
    B. Evolução Teísta
    C. Criação

    III. CRIAÇÃO DO HOMEM
    A. O homem foi criado diretamente por Deus
    B. O homem foi criado em distinção das outras criaturas
    C. O homem foi colocado numa posição exaltada

    IV. IMAGO DEI
    A. Breve Histórico
    B. Significado do termo
    C. Aspectos envolvidos
    D. Definição do termo

    V. CONSTITUIÇÃO DO HOMEM
    A. Tricotomia
    B. Dicotomia

    VI. ASPECTOS IMATERIAIS DO HOMEM
    A. Elementos que compreendem a Parte imaterial
    B. Capacidades e Faculdades da Parte Imaterial

    VII. ORIGEM DA ALMA
    A. Preexistencialismo
    B. Criacionismo
    C. Traducionismo
    D. Um convite à Cautela

    segunda-feira, setembro 28, 2009

    A Perfeição de Deus

    Há alguns anos que recebi esta história por e-mail. Disseram que a história era real. Acho interessante conhecê-la, bem como a interpretação do pai de Pedro do acontecido.

    No Brooklyn, Nova Iorque, Chush é uma escola que se dedica ao ensino de crianças especiais. Algumas crianças ali permanecem pôr toda a vida escolar, enquanto outras podem ser encaminhadas a escolas comuns.

    Em um jantar beneficente de Chush, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavam. Depois de elogiar a escola e seu dedicado pessoal, perguntou ele: "Onde está a perfeição em meu filho Pedro, se tudo o que DEUS faz é feito com perfeição? Meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem. Meu filho não pode se lembrar de fatos e números como as outras crianças. Então, onde está a perfeição de Deus?" Todos ficaram chocados com a pergunta e com o sofrimento daquele pai. Mas ele continuou: "Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modo como as pessoas reagem diante desta criança."

    Então ele contou a seguinte história sobre o seu filho Pedro: "Uma tarde, Pedro e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que o conheciam, estavam jogando baseball. Pedro perguntou-me:
    - Pai, você acha que eles me deixariam jogar? Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninos não o queria no time. Mas entendi que se Pedro pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação. Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei-lhe se Pedro poderia jogar. O menino deu uma olhada ao redor, buscando a aprovação de seus companheiros de time e mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse:
    - Nós estamos perdendo por seis rodadas e o jogo está na oitava. Acho que ele pode entrar em nosso time e tentaremos colocá-lo para bater até a nona rodada. Fiquei admirado quando Pedro abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino.

    Pediram então que ele colocasse a luva e fosse para o campo jogar. No final da oitava rodada, o time de Pedro marcou alguns pontos, mas ainda estava perdendo por três. No final da nona rodada, o time de Pedro marcou novamente e agora com dois fora e as bases com potencial para a rodada decisiva, Pedro foi escalado para continuar. Um questionamento, porém, veio à minha mente: o time deixaria Pedro, de fato, rebater nesta circunstância e jogar fora a chance de ganhar o jogo? Surpreendentemente foi dado o bastão a Pedro. Todo mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar o bastão. Porém, quando Pedro tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de maneira que Pedro pudesse ao menos rebater. Foi feito o primeiro arremesso e Pedro balançou desajeitadamente e o perdeu. Um dos companheiros do time de Pedro foi até ele e juntos seguraram o bastão e encararam o lançador. O lançador deu novamente alguns passos para lançar a bola suavemente para Pedro. Quando veio o lance, Pedro e o seu companheiro de time balançaram o bastão e juntos rebateram a lenta bola do lançador.

    O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la lançado facilmente ao primeiro homem da base, Pedro estaria fora e isso teria terminado o jogo. Ao invés disso, o lançador pegou a bola e lançou-a em uma curva, longa e alta para o campo, distante do alcance do primeiro homem da base. Então todo o mundo começou a gritar:
    - Pedro, corra para a primeira base. Corra para a primeira. Nunca em sua vida ele tinha corrido... Mas saiu em disparada para a linha de base, com os olhos arregalados e assustado. Até que ele alcançasse a primeira base, o jogador da direita teve a posse da bola. Ele poderia ter lançado a bola ao segundo homem da base, o que colocaria Pedro para fora, pois ele ainda estava correndo. Mas o jogador entendeu quais eram as intenções do lançador, assim, lançou a bola alta e distante, acima da cabeça do terceiro homem da base. Todo mundo gritou:
    - Corra para a segunda, corra para a segunda base. Pedro correu para a segunda base, enquanto os jogadores à frente dele circulavam deliberadamente para a base principal. Quando Pedro alcançou a segunda base, a curta parada adversária colocou-o na direção de terceira base e todos gritaram:
    - Corra para a terceira. Quando Pedro contornou a terceira base, os meninos de ambos os times correram atrás dele gritando:
    - Pedro, corra para a base principal. Pedro correu para a base principal, pisou nela e todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o herói, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganhado o jogo para o time dele.

    "Naquele dia," disse o pai, com lágrimas caindo sobre face, "aqueles 18 meninos alcançaram a Perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!"

    domingo, setembro 27, 2009

    Declaração Pessoa de Fé: Pecado

    O homem foi criado perfeitamente (Gn 1.31), justo, mas decidiu buscar intrigas (Ec 7.29), o pecado contra seu próprio Criador (Gn 3), facilitado pelo Diabo (Gn 3; Ap 12.9). Por causa disso, o primeiro homem e toda sua descendência se distanciaram do perfeito relacionamento que tinham com Deus, dando-lhes a chance quase que inevitável de morrer (Rm 5.12-19, 3.23, Gn 5.24). Os homens são todos pecadores e inclinados à prática do mal (Rm 1.18-32, 3.23, 7.14-20). Todos os pecados são, à priori, cometidos contra Deus (Gn 39.9; Sl 51.4; 1Co 8.12) e seu próprio Corpo (1Co 11.29, 12.12), mas também engloba o próximo (Mt 6.14-15). O homem é incapaz de obter a salvação por seus próprios meios (Rm 3.20; Ef 2.8-9), mas a fé é capaz de transferir a culpa que o condena ao cordeiro de Deus (Rm 3.20; Gl 3.10-11; Ef 2.8,9; Cl 3.13-15). A incredulidade é o pecado que leva o homem à condenação certa (Jo 3.36, 1Jo 5.10-12), o pecado sem perdão (Mc 3.29). Somente a graça de Deus pode sobrepor a culpa do pecado (Rm 5.15-17; Ef 2.8,9).